26/10/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Começa o Festival de Teatro Carlito Marchon

Nesta sexta-feira acontece a abertura do Festival de Teatro Carlito Marchon, às 18h, no Teatro Irmã Sania Cosmelli, do Colégio Nossa Senhora das Dores (Rua Monsenhor Miranda, Centro), com exposição sobre seu trabalho e show de alguns músicos amigos do Carlito, como Teleco, Jeziel, Anderson Piuí, que tocarão músicas do Carlito, além de performance teatral com os tb. amigos Dalmi Latini e Rodrigo Guadagnini. Neste sábado e domingo acontecerão as apresentações do festival, sempre a partir das 10h, com grupos de Friburgo no sábado e grupos do Rio no domingo. Entrada franca, mas as senhas devem ser retiradas no local meia hora antes de cada espetáculo. No domingo à noite, 19h, haverá a premiação dos vencedores no teatro Sania Cosmelli, do CNSD.

Apresentações de 12 espetáculos acontecerão nos próximos dias 27 e 28

O Festival reunirá 12 grupos de teatro amador integrados por alunos de escolas públicas e particulares de Nova Friburgo e do Rio de Janeiro. As apresentações serão nos próximos dias 27 e 28, no Teatro Irmã Sania Cosmelli, do Colégio Nossa Senhora das Dores (CNSD), que realiza o evento. Os vencedores receberão o Troféu Carlito Marchon, uma homenagem póstuma ao ator, diretor de teatro, dramaturgo e grande incentivador e defensor da cultura friburguense.

Além de dar nome ao troféu, Carlito será reverenciado na abertura do FIT com uma exposição sobre sua vida e obra no dia 26, a partir das 18h, seguida de shows e performances de amigos de Carlito, Jeziel de Oliveira, Teleco Ventura, Wanderson Piuí, Dalmo Latini, Talita Meloni e Rodrigo Guadagnini.

Os seis espetáculos de escolas de Nova Friburgo serão apresentados no sábado, 26, e os outros seis das escolas cariocas no domingo, 27, sendo a comissão julgadora formada pelo ator e diretor de teatro Antônio De Bonis, a professora Lúcia Helena de Freitas, a Gyata, e o fundador do Grupo de Arte, Movimento e Ação (Gama), Julio Cezar Seabra Cavalcanti, o Jaburu. A entrada será franca, mas o público precisará retirar senhas meia hora antes de cada espetáculo, já que a lotação do teatro do CNSD é limitada a 200 pessoas. A entrega dos prêmios aos vencedores acontecerá no domingo, 27, às 19h.

Para uma das organizadoras do FIT, a professora Jean Beatriz Fersura Wermelinger, a iniciativa, além de valorizar o trabalho artístico nas escolas, estimula novos talentos e difunde as artes cênicas entre os jovens. “Muitos alunos que têm vontade de montar um grupo teatral e assistir ao festival certamente ficarão mais estimulados a colocar a idéia em prática”, acredita Jean. Serão agraciados com o troféu, idealizado pelo artista plástico Felga de Moraes, os alunos/atores vencedores nos quesitos melhor ator e atriz, ator e atriz coadjuvantes, melhor diretor, maquiagem, iluminação, sonoplastia, cenário e figurino.

Confira a ordem de

apresentação dos espetáculos

A organização do FIT já selecionou a ordem de apresentação dos espetáculos. No sábado, 26, às 10h, será a vez do Teatro Amador Mercedário (Tame), do Colégio Nossa Senhora das Mercês, que apresentará a peça ‘Um tom na literatura’, com texto e direção da professora Walkinéia da Rocha. Às 11h30 quem se apresentará é o grupo “Desunidos até ontem”, do Colégio Estadual José Martins da Costa, do distrito de São Pedro da Serra, com o espetáculo ‘A aurora de minha vida’, de Naum Alves de Souza, com adaptação e direção de Gleice Heringer e Selma Wainstock.

Ainda no sábado, 26, às 12h30, será a vez do Projeto Cultural do Colégio Rui Barbosa, do distrito de Conselheiro Paulino, apresentar ‘Música X Música’ com texto e direção de Rudster de Lima Ferreira e Joelma Sanches Gravino. Às 15h quem subirá ao palco será o grupo de teatro D. Pedro, do colégio homônimo, com o musical ‘A bela e fera’, com adaptação e direção de Tânia Noguchi.

Às 17h o Laboratório & Arte, do Ciep Glauber Rocha, promoverá uma reflexão sobre a crise ambiental da atualidade com ‘Sem água, sem vida’, de Almir Borges, Anne Cardinot e Fernando Rocha; às 19h, o grupo Teatro, Educação, Infância e Adolescência (Teia), do CNSD, com a peça ‘Vem buscar-me que ainda sou teu’, de Carlos Alberto Soffredini e direção de Maria Clara Wermelinger.

Já no domingo, 27, às 10h, o grupo Indart, do Colégio Santa Dorotéia, do Rio de Janeiro, apresentará a peça “A bruxinha que era boa”, de Maria Clara Machado. Às 11h30 será a vez da Cia Teatral “Os insanos”, do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora, com o espetáculo ‘Aquela propriedade está condenada’. Às 13h o grupo Capachos da Arte, do colégio de aplicação da UFRJ, apresentará a peça ‘O edifício’, um conto de Murilo Rubião. Às 14h30 o grupo de teatro do Colégio Angelorum, apresentará ‘Tribobó City’, de Maria Clara Machado. Às 16h quem subirá ao palco será o grupo de teatro do Colégio Santo Agostinho, com a peça ‘Os melhores esquetes’, de Saulo Rodrigues e Ângela Câmara. Já às 17h30 a Cia Teatral do Colégio Notre Dame, de Ipanema/Rio, encerrará o FIT com ‘O pequenino grão de areia’, de João Falcão.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

CARLITO MARCHON,

ÍCONE DA NOSSA CULTURA

Totalmente apaixonado pelas artes cênicas, Carlito Marchon dedicou-se de corpo e alma ao teatro ainda na década de 60 e despontou na área cênica ao atuar no então badalado grupo teatral carioca Asdrubal trouxe o trombone. Apresentou-se em várias capitais brasileiras e contracenou com grandes e respeitados nomes das artes cênicas, como Grande Otelo, Caíque Botkay, Analu Prestes, Buza Ferraz, Ângela Leal, entre outros.

Em Nova Friburgo, para onde retornou na década de 80, Carlito desenvolveu diversos trabalhos marcantes e criou a Cia. Carla Malcon de Dramas e Pesadelos. Encarnou com maestria o enigmático e hilariante Palhaço Gavião, ave de rapina pela qual sempre nutriu uma misteriosa admiração e que serviu de inspiração para seus altos vôos no mundo da arte.

Ícone do teatro friburguense, Carlito Marchon marcou época na cena friburguense e foi incansável na busca e aprimoramento de uma linguagem teatral própria. Professor de teatro e também de matemática, e de uma inteligência e perspicácia invejáveis, Carlito morreu num acidente de carro aos 51 anos, em 15 de dezembro de 2006. Foi o último vôo do eterno Gavião.

Por: Divulgação