17/10/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Despoluição da Baia da Guanabara da mais um passo

O governador Sérgio Cabral entregou, na manhã desta terça-feira

(16/10), a segunda obra da sua administração referente ao Programa de

Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG). Após inaugurar o primeiro

tronco coletor na Praça da Bandeira, Cabral, conforme havia prometido,

entregou o segundo tronco coletor do PDBG que fica na esquina da Rua

Haddock Lobo com Rua do Matoso, na Tijuca, Zona Norte do Rio.

No local, foi acionado um equipamento que rompeu o último trecho de

terra que impedia a interligação do sistema coletor que capta os

esgotos dos imóveis comerciais e residenciais ao tronco principal. Com

isso, o esgoto será será escoado diretamente para a Estação de

Tratamento de Esgoto (ETE) de Alegria, no Bairro do Caju.

- A Tijuca vive um momento histórico. Esse buraco existe há quatro

anos e estava atrapalhando a passagem dos pedestres e o trânsito. Essa

obra foi entregue um mês e meio antes do previsto. Os moradores

precisam ser tratados dignamente – explicou o governador Sérgio

Cabral.

Segundo o presidente da Cedae, Wagner Victer, essa obra beneficiará

cerca de cem mil habitantes. O tronco coletor retirará 200 litros de

esgotos por segundo, que antes eram lançados nos Rios Trapicheiro,

Maracanã e no canal da Paulo de Frontin, desembocando na Baía de

Guanabara.

- Com essa obra, a gente finaliza o processo de esgotamento sanitário

da Tijuca. Os dejetos retirados equivalem a quatro Maracanãzinhos de

esgoto. É uma obra muito importante que vai ajudar na despoluição da

Baía de Guanabara – falou Victer.

Os investimentos colocados no Programa de Despoluição da Baía de

Guanabara são da ordem de R$ 60 milhões. Nos próximos 150 dias será

inaugurado o sistema de esgoto no Centro da Cidade.

O secretário do Ambiente, Carlos Minc, comentou que a obra é muito

importante e positiva para o impacto ambiental, por tirar o esgoto

in-natura e tratá-lo.

- Isto é uma retomada do PDBG em parceria com a Cedae que está com uma

tática nova e diferente do que era antes. Então, há recursos do Fecam

(Fundo Estadual de Controle Ambiental) de garantir, por quatro anos, a

continuação e conclusão da primeira etapa da despoluição da Baía de

Guanabara – disse o secretário.

O governador informou que, com a operação do tronco coletor da Tijuca,

todo o esgoto será desviado para a Estação de Tratamento de Esgotos

Alegria no Caju, passando a receber imediatamente o tratamento

primário e, a partir de 2008, o tratamento secundário.

- Daqui a duas semanas estaremos lançando o saneamento no Recreio dos

Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. Isto é algo sonhado há muito tempo e

é inadmissível chegar no século 21 com problemas de saneamento básico

como esse – finalizou.

Por Virgínia Cavalcante

Por: Assessoria de Comunicação da Sec. de Meio Ambiente RJ