17/09/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Menos carro e menos compras, sugere professor a quem quer conter aquecimento global

Luana Lourenço

Repórter da Agência Brasil

Brasília - A discussão sobre os impactos das mudanças climáticas, em especial do aquecimento do planeta, é assunto de reuniões da agenda mundial de negociações este ano. O enfrentamento dessas alterações também pode ser trazido para o cotidiano, para o ambiente doméstico. Uma redução no uso do automóvel e no consumo está entre as sugestões do professor Paulo Artaxo para os cidadãos que querem ajudar a conter o problema.

“Não não se pode esperar que um governo, que uma organização faça o alerta, o alerta cabe a toda a população”, avalia o professor, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). “É um problema global e tem que ser uma preocupação de todos. E toda a humanidade vai ter que alterar seus padrões de consumo."

A pedido da Agência Brasil, Artaxo, um dos representantes brasileiros no Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), lista cinco dicas para que a sociedade possa contribuir com a redução da emissão de gases do efeito estufa, uma das principais causas do fenômeno do aquecimento:

- utilizar menos combustível (e, portanto, usar menos o transporte individual);

-substitur a gasolina por álcool, que é um combustível mais “limpo” (menos poluente);

- investir em transporte público de qualidade, para reduzir o número de veículos particulares nas ruas (eles contribuem muito para as emissões de gases como o dióxido de carbono);

- usar menos “produtos de consumo” para que as indústrias não aumentem a demanda por insumos ("em vez de trocar de celular a cada seis meses, trocar a cada ano", exemplifica ele);

- estimular a reciclagem, porque reduz a utilização de produtos industrializados e preserva os recursos naturais.

Por: Agencia Brasil