31/07/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Banco alemão pode ampliar recursos para proteção da Mata Atlântica

Alana Gandra

Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - O banco de desenvolvimento alemão Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW) poderá aproveitar a rodada de negociações entre representantes dos governos alemão e brasileiro, prevista para agosto próximo, e ampliar o financiamento concedido ao Projeto de Proteção da Mata Atlântica (PPMA). O objetivo da rodada é o repasse de mais recursos ao Brasil, dentro do acordo de cooperação bilateral.

A informação foi dada à Agência Brasil pela presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF) do Rio de Janeiro, Yara Valverde. Ela acaba de voltar da Europa, onde manteve contato com dirigentes de órgãos governamentais e entidades não-governamentais da Alemanha e da Itália.

Yara Valverde avaliou que os recentes avanços do governo fluminense na área de meio ambiente poderão contribuir para o aumento dos recursos destinados à preservação da Mata Atlântica não só no estado, mas em todo o país.

“A informação que recebi da direção do banco KfW é de que serão feitos novos investimentos no Brasil na área ambiental, principalmente em projetos ligados à biodiversidade".

A presidente do IEF afirmou que esses novos investimentos vão ser negociados com o governo brasileiro. Sobre o Rio de Janeiro, Yara Valverde disse que a parceria poderá ser ampliada, aproveitando a “grande sinergia” entre as três instâncias de governo (federal, estadual e municipais). O PPMA do Rio de Janeiro conta com recursos do KfW equivalentes a R$ 30 milhões até 2009.

Neste ano, o PPMA/RJ conta com investimentos alemães de R$ 10 milhões, com contrapartida em valor superior do estado devido à entrada de recursos extras no orçamento, disse Valverde. A elevação de propostas de proteção da Mata Atlântica no âmbito do projeto para as estratégias de conservação justificaria o aumento de recursos pleiteado, explicou a presidente do IEF.

Por: Agencia Brasil