23/07/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Confira as principais notícias ambientais do mês de julho

O Ibama concedeu dia 9 de julho a licença para o leilão de empreitada de duas hidrelétricas, as de Santo Antonio e Girau, no Rio Madeira, em Rondônia. Apresentou 33 exigências ao processo das usinas, entre as quais, o destino final do mercúrio e canais para assegurar a migração dos peixes, a serem cumpridas antes do início das obras. Assim, outra licença será outorgada para liberar as obras.

Em Cabrobó, na Bahia, teve início as obras de transposição das águas do Rio São Francisco, obra que na primeira etapa terá um canal de 8 kilômetros de extensão. Ao final a canalização atingiria 4 estados, sendo retirados 60 metros cúbicos de água por segundo do rio para abastecer 500 municípios. O conjunto de obras, orçado em 4 milhões e900 mil, está previsto no PAC. Ambientalistas criticam o governo que estaria preocupado só com o desenvolvimento econômico, desprezando aspectos sociais e ambientais. Sugerem primeiro a revitalização do Rio São Franscisco.

O presidente Lula pretende criar um certificado ambiental e trabalhista para o comércio do etanol, afim de assegurar a sustentabilidade na sua produção. Existem no país várias áreas canavieiras ocultando trabalho em regime de escravidão como, por exemplo, no Pará. A expansão da cana de açucar poderá elevar preços dos alimentos e do açucar. Estas objeções tem sido colocadas ao presidente Lula que se mantem seguro de que o etanol é a solução para o futuro, gerando muitos empregos. A matriz energética é considerada limpa. O maior canavial do Brasil está no Estado de São Paulo, com 4 milhões e 200 mil hectares de cultivo.

A Segunda Cúpula Trienal do Pacto Global, reunida em Genebra, no final de junho, com 1200 empresários de corporações transnacionais tomou o rumo da sustentabilidade. Os empresários falaram de compromissos com os direitos humanos, combate a corrupção, respeito a liberdade associativa dos trabalhadores e com a preservação do meio ambiente. No último caso estão a se prevenir quanto a crescente pressão social sobre a origem dos produtos.Está cogitada a criação de um certificado internacional de qualidade ambiental.

Na primeira Semana do Meio Ambiente da FIESP, os empresários propuseram metas de redução de 23% das emissões de gases estufa na indústria paulista. Prometeram sua cota de contribuição para diminuir a poluição e desfazer a imagem que pesa sobre a indústria, a de promover o efeito estufa.

A Suécia está usando em larga escala o etanol. 30% dos veículos licenciados no país, ano passado, consomem o alcool combustível. Por outro lado, a união européia se prepara para regulamentar a importação e produção do Etanol.As barreiras alfandegárias atuais, na Europa impõe uma taxa de 100 dólares por tonelada, na importação do Etanol, enquanto para a gasolina não há restrições.

A Organização Mundial de Comércio - OML - alertou o Brasil para retirar as barreiras sobre a importação de pneus remoldados, provenientes da Europa. Os pneus usados foram colocados fora de cogitação pelo governo brasileiro, entretanto a OMC espera pela liberação das importações até setembro.

Relatório da ONU prevê uma população de 5 bilhões de pessoas concentradas somente nos centros urbanos, até 2030. As grandes cidades terão duplicados o número de habitantes.

No inverno deste ano, no Hemisfério Norte, não ocorreu precipitação de neve nos Alpes, na Europa. Cientistas atribuem o fenômeno ao Aquecimento Global.

Pela primeira vez, em junho, a NASA se manifestou sobre o aquecimento do planeta. No comunicado revela que a humanidade terá apenas 10 anos para reverter o quadro de mudanças climáticas, para que não enfrente consequências imprevisíveis.

São 450 bilhões de toneladas de Co2 emitidas por ano em todo o mundo. Este gas poluente ocasiona as mudanças climáticas. A opção mínima para os países industrializados, está em estabilizar as emissões. Os países em desenvolvimento, entretanto, querem se industrializar.Cientistas sugerem a adoção de tecnologias mais limpas, substituindo a indústria poluente.

Estudos de agencia australiana comprovam que as emissões de carbono da China teriam ultrapassado a dos EUA.

Na cidade de Pequim há 3 milhões de carros e o governo chinês decidiu pela retirada de 1 milhão de veículos de circulação. A medida, em fase inicial, visa combater a poluição que assola a capital chinesa.

Um lago apodereceum na China, e o governo vai fechar 3 mil fábricas localizadas ao seu redor.

A infestação por 2 milhões de ratos está destruindo a atividade agrícola ao norte da China. O combate à praga já teria eliminado, em junho, 1 milhão de ratos.

O Ibama não concluiu o licenciamento ambiental das obras da Usina de Angra III. Entretanto há mobilização de técnicos do governo nas cidades daquela região tentando esclarecer os moradores a necessidade de mais esta usina nuclear. A grande preocupação é com o lixo atômico.

O lixo radioativo das usinas nucleares pode resistir até 240 mil anos. No novo México, uma experência em curso usa uma mina de sal para armazenar os detritos nucleares. Acreditam os especialistas que o lixo radioativo estará mais seguro sob o sal mineral.

Desde o apagão em 2002 até junho de 2007 apenas 10 licenças para construção de usinas de energia haviam sido liberadas pelo IBAMA.

O Estado do Maranhão está planejando a construção de uma usina termelétrica, embora os combustíveis fósseis, como o carvão, causem o egeito estufa.

Constatação inusitada no Brasil revela que 38% dos lares brasileiros usam fogão a lenha. A queima de lenha economiza recursos todavia consome as florestas já que as madeiras de lei são utilizadas porque proporcionam melhor fogo.

Em Cantagalo, no Rio de Janeiro, um aquecedor solar, construido com material reciclado (garrafas pet, canos e embalagens Longa Vida, por Rodrigo Voliu, assessor da secretaria de agricultura do município, funciona para o aquecimento de água. O modelo de baixíssimo custo poderá ser introduzido nas escolas da rede municipal.

A frota brasileira de carros aumentou 8% em 12 meses e até maio último o país contava com 46 milhões de carros registrados. o Estado de São Paulo tem 16 milhão de veículos.

No primeiro semestre deste ano foram introduzidas 790 mil novas motos nas vias do país. As vendas cresceram 23%. No Estado do Rio haviam 370 mil novas motos licenciadas. Ageis mas perigosas, as motos são 50% mais poluentes que os carros. Em 2009, aparecerá o modelo flexível ao etanol e já se encontra no mercado o modelo importado, movido a eletricidade.

A falta de saneamento de esgotos atinge 95 milhões de brasileiros. Os dejetos são jogados sem tratamento nos rios, tanto em cidades como na zona rural.

Os estudos da Associação Brasileira de Infra-Estruturade Base revelam que 40 milhões de brasileiros não tem nenhum tipo de esgoto. Para atacar o problema, o governo federal prevê 40 bilhões de reais, no PAC, destinados ao saneamento.

A campanha contra o lançamento do óleo de cozinha na rede de esgoto dá conta de que 1 litro de óleo de cozinha pode contaminar 1 milhão de litros dágua.

A prefeitura de Magé achou que a melhor solução para se livrar de um canal pluvial, transformado num valão de esgoto, seria o aterramento. Pôs em execução a obra. Moradores, temendo a possibilidade de enchentes, reclamaram à Serla que acabou por interditar o aterro, em junho.

Deputado denuncia, na Câmara, que incendios ambientais no Estado de Mato Grosso, neste ano, são 150 vezes maiores do que no ano passado. São incêndios em florestas e no campo agrícola.

No estado do Mato Grosso do Sul, a umidade do ar chegou a níveis muito baixos. As autoridades estaduais atribuem o fato as mudanças climáticas, entretanto, naquele estado está a maior concentração bovina do país. Imensos pastos avançam sobre todo o estado enquanto aparece acelerada também a expansão da cana de açucar.

No início deste inverno, 8 estados do centro-sul brasileiro estão sofrendo com uma umidade do ar muito baixa, abaixo de 30%. Os governos estaduais estão alarmados com a crise atmosférica. Estão impotentes diante do problema do clima e as consequências para a saúde da população.

Congresso sobre Unidades de Conservação, em Nova Iguaçu, avaliou que 50% das áreas florestais, no país, estão em péssimas condições. Somente 30% estão bem conservadas.

Bela iniciativa promete ser a conservação do Parque de Ilha Grande, prometendo a secretaria torna-lo modelo de Eco-Desenvolvimento.

Em Nova Friburgo, um pacote de Códigos e Leis Ambientais foi encaminhado pelo executivo ao legislativo para aprovação. Prevê, entre outras medidas, a isenção de 50% a 100% do IPTU aos proprietários que tiverem entre 30 a 100% dos seus terrenos cobertos por florestas.

Umas das prioridade da Secretaria Estadual de Meio Ambiente é demarcação do Parque Estadual de 3 Picos, em Nova Friburgo, Cachoeiras de Macacú e Teresópolis.

A reserva do Tinguá vai ganhar 1 milhão de árvores nativas de acordo com o plano da secretaria de meio ambiente do Estado do Rio de Janeiro, visando reflorestar um corredor de 150 mil hectares, por entre as áreas ocupadas, reunindo as serras da Bocaina e da Mantiqueira. Com isto integrará a Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro e São Paulo.

Os produtos orgânicos já possibilitam, no mundo, negócios da ordem de 300 milhões de dólares. No Brasil, somam 30 milhões de dólares. No Estado de Santa Catarina, agricultores estão desenvolvendo o cultivo da chamada laranja orgânica com ótima aceitação no mercado internacional.

Na cidade de Paulinéia, em SP, o aterro urbano recicla 95% do lixo. Faz-se a filtragem do chorume, e o gaz metano é transformado em eletricidade. Reaproveita-se as embalagens. 20 municípios da região depositam o lixo neste aterro. Além disto, foram empregados 200 catadores.

Em Londrina, no Paraná, os supermercados deverão substituir as tradicionais sacolas plásticas por um produto similar biodegradável. A orientação da Secretaria de Meio Ambiente não tem prazo estipulado para as empresas. O plano incial aconselha os consumidores a trazerem sacola própria, nas compras.

Em Minas Gerais, a preocupação dos ambientalistas é com o quadro de extinção dos macacos Muriquí. Habitantes da mata atlântica mineira, calcula-se que existam, no máximo, mil animais desta espécie.

A madeira plástica já se encontra no mercado. O produto é obtido a partir da reciclagem de lixo plástico. Pode ser usada da mesma forma de uma madeira comum. Aceita prego, parafuso, suporta peso e resiste ao clima. Serve para construções civis e móveis. A tecnologia foi desenvolvida no Brasil.

Duas espécies de corais não nativos estão proliferando de forma indiscriminada no litoral fluminense, abrangendo a região dos lagos a Parati. Os estudos foram feitos pela UFRJ. Teria sido trazidos no casco de embarcações petrolíferas.

A Secretaria de Meio Ambiente elaborou um plano de manejo que consiste na retirada manual dos corais. Eles ocupam o lugar das espécies nativas de corais e, por isto, tem de ser erradicados.

No dia 22 de setembro, uma mobilização ambiental em São Paulo distribuirá folhetos educativos no trânsito. Entre seus temas, o combate à poluição, o respeito a faixa de pedestres e a preferência pelo transporte coletivo. Em média, 20 atropelamentos diários são verificados em São Paulo enquanto 300 novos carros obtem licença por dia.

Estudos apontam para a necessidade de implantação de pedágio no centro da capital paulista.

A Associação dos Amigos dos Animais de Curitiba pressiona vereadores para a aprovação de Projeto de Lei que proibe animais nos circos. A entidade acusa os métodos circenses de treinarem os animais com o uso de violência.

Temperaturas elevadas, no mês de junho, provocaram 300 focos de incêndios em florestas ao sul de Minas Gerais.

A empresa Nike quase faliu há 2 anos quando foi denunciada pelo uso de crianças em fábrica na Tailândia. Prejuízos econômicos devido a faltas graves na produção tem levado os empresários a se acautelarem, adotando a sustentabilidade nos empreendimentos, afirma Fernando Almeida, autor do livro “desafio da Sustentabilidade”

Por: ForumSec21