21/07/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Ano do Desenvolvimento Limpo estimulará ações para reduzir emissões de carbono

Carolina Pimentel e Sabrina Craide

Repórteres da Agência Brasil

Brasília - Com o objetivo de estimular a sociedade brasileira a participar de ações que contribuam para a redução das emissões de gases de efeito estufa, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior lançou hoje (17) o Protocolo de Intenções para o Ano do Desenvolvimento Limpo.

O documento, elaborado em parceria com 12 entidades, incluindo os ministérios do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia, propõe a adoção de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL) – ações que podem ser adotadas por países em desenvolvimento para que eles cresçam de forma limpa, isto é, sem poluir e com menor emissão de carbono.

Entre as ações que receberão apoio está também o desenvolvimento de novas metodologias envolvendo biocombustíveis e florestas. Segundo o ministro Miguel Jorge, o objetivo é "promover a participação de todos os estados nesse esforço com ações, divulgação e capacitação técnica, para dar abrangência nacional a esse esforço e consolidar definitivamente o mercado de carbono no Brasil”.

O ministro ressaltou que a redução de emissões de carbono deverá gerar ao país receita de aproximadamente US$ 3 bilhões nos próximos cinco anos. “O desenvolvimento de novas metodologias mais adaptadas às nossas vantagens comparativas, no caso de biocombustíveis e florestas, ampliará ainda mais as possibilidades de geração de créditos de carbono”, disse.

Entre as atividades previstas para alcançar as metas estabelecidas estão a realização de oficinas, seminários e cursos de capacitação, o lançamento de uma publicação com os primeiros cem projetos de MDL brasileiros e a criação do Observatório do Mercado de Carbono, que realizará estudos e análises de inteligência comercial, avaliando tendências e a conjuntura do mercado internacional de carbono.

O Protocolo foi lançado no Palácio do Planalto, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). O compromisso será assinado amanhã (18) em Brasília, na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Por: Agencia Brasil