30/06/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Parque Estadual do Desengano receberá aumento de fiscalização e melhoria de infra-estrutura

A presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Yara Valverde,

anunciou nesta quarta-feira (27-06) que o Parque Estadual do

Desengano, principal unidade de conservação do Nororeste fluminense,

receberá investimentos de R$ 1,28 milhão para aumento da fiscalização

e melhoria na infra-estrutura, com o objetivo de ampliar a visitação

mantendo a proteção à biodiversidade da região, um importante corredor

de Mata Atlântica.

– Através dos recursos de compensação ambiental, do Projeto de

Proteção à Mata Atlântica e com a participação da comunidade, queremos

incentivar o ecoturismo consciente no parque e, ao mesmo tempo,

implantar um serviço de guardiões contra os crimes ambientais –

afirmou.

De acordo com a presidente do IEF, a Região do Noroeste do estado

reúne importantes remanescentes de Mata Atlântica que precisam ser

conservados. Além disso, porém, o objetivo do instituto é incentivar o

uso sustentável dos recursos naturais através de iniciativas como a

silvicultura econômica, que pode contribuir para a recuperação de

áreas degradadas.

O anúncio dos investimentos no parque foi feito durante a visita da

atriz Dercy Gonçalves à sede do IEF, no Centro do Rio. Acompanhada por

oito moradores do entorno do parque, Dercy, que é madrinha do Parque

Estadual do Desengano, fez a entrega de um projeto de ecoturismo para

a região de Morumbeca. Um dos objetivos principais é implantar

infra-estrutura para atividades de turismo, pesquisa e monitoramento

não somente no parque, mas também no entorno.

– As pessoas precisam visitar mais o parque. Aliás, o Brasil inteiro é

lindo e os brasileiros conhecem muito pouco as belezas do país –

afirmou Dercy Gonçalves, que completou 100 anos no último dia 23 e é

natural de Santa Maria Madalena. No município está situada a sede do

parque, que também abrange áreas de Campos dos Goytacazes e São

Fidélis.

Discutido por entidades não-governamentais e moradores do entorno, o

projeto de turismo foi elaborado na Subcâmara Técnica da Morumbeca do

Conselho Gestor do Parque Estadual do Desengano a partir de janeiro,

segundo a administradora do parque, Manoela Alves Lopes. Outras duas

subcâmaras, a do Sossego e de Itacolomy, vão apresentar propostas

referentes a outras duas áreas do parque.

Segundo Magdala Torres e Silvana Reis, moradoras que atuam na área de

ecoturismo, o projeto vai beneficiar uma região que vem sofrendo com o

esvaziamento econômico nos últimos anos, principalmente no setor

agropecuário. De acordo com Silvana, com infra-estrutura adequada será

possível aumentar a visitação sem prejudicar a natureza, o que vai

contribuir para a geração de empregos.

Os problemas e propostas para o Parque Estadual do Desengano foram

discutidos pela comunidade na Oficina de Diagnóstico Participativo

realizada no dia 14 deste mês, e que vai subsidiar a reestruturação do

Plano de Manejo e do Conselho Gestor da unidade.

– Um dos principais objetivos é ampliar a participação comunitária na

gestão – anunciou a diretora de Conservação da Natureza do IEF, Alba

Simon.

Por: Governo do Estado