06/09/2016 Noticia AnteriorPróxima Noticia

5 motivos para você boicotar os zoológicos

“Os animais existem por suas próprias razões. Eles não foram feitos para os humanos, assim como as mulheres não foram feitas para os homens e os negros não foram feitos para os brancos.” – Alice Walker

Yuri Faiani Branco

Uma das formas de garantir que a Cultura da Paz seja cada vez mais difundida e assimilada pela humanidade é explicitar para as pessoas como situações que geram violência podem e devem deixar de existir. A morte do urso polar Arturo, apelidado o urso “mais triste do mundo”, aos 30 anos, num zoológico da Argentina onde vivia desde os 8 anos de idade, trouxe novamente à tona o debate sobre a situação dos animais que passam a vida em cativeiros nos zoológicos, parques e aquários. Nesse artigo, vamos apresentar 5 motivos pelos quais você deve boicotar os zoológicos:

1 – O cativeiro muitas vezes deixa os animais loucos

Na natureza, elefantes andam até 50 quilômetros por dia, ursos são ativos por até 18 horas diárias, explorando muitas vezes centenas de quilômetros para achar seu lar (local de hibernação); tigres e leões adoram correr e escalar árvores e também percorrem quilômetros em busca da sua presa. Mas quando esses animais (ou qualquer outro animal selvagem) são presos em jaulas ou pequenos ambientes em zoológicos, eles não conseguem fazer essas coisas que são naturais e importantes para eles. Ao contrário, os animais que vivem nos zoológicos são mantidos em recintos limitados, com quase nenhum espaço para se movimentar, com muito poucas oportunidades de exercício físico ou de manter suas mentes ativas.

Viver sem essas coisas importantes causa “zoochosis”, uma condição na qual os animais agem de forma estranha e podem inclusive se machucar por causa de tédio ou frustração. Os sinais de zoochosis são fáceis de se perceber. Ursos e grandes felinos, como leões e tigres, andam para trás e para frente de forma ritmada e repetitiva. Macacos e pássaros se machucam. Girafas torcem seus pescoços e pendulam suas cabeças para frente e para trás; e elefantes balançam suas cabeças para os lados. Esses não são comportamentos naturais que poderiam ser vistos na natureza.

2 – Os zoológicos se preocupam com principalmente uma coisa (e não são os animais)!

Como muitas pessoas adoram ver animais bebês, muitos zoológicos criam animais para terem mais bebês e, com isso, ganharem muito dinheiro. Quando os bebês crescem, porém, eles não continuam populares e, portanto, muitas vezes os zoológicos trocam, emprestam ou vendem animais que não estão mais proporcionando tanto dinheiro. Você pode imaginar alguém se livrar de você apenas por não ser mais um bebê? Esses tristes animais indesejados podem ir para zoológicos de beira de estrada ou circos itinerantes. Outros são simplesmente abatidos.

3 – Os zoológicos raramente ajudam os animais

Muitos zoológicos defendem a razão da sua existência com a justificativa de reproduzir e ajudar espécies em risco de extinção, mas isso não é verdade. Na realidade, a maior parte dos animais em zoológicos não estão ameaçados de extinção e, aqueles que estão, nunca serão soltos no seu habitat natural.

Zoológicos e parques de vida selvagem quase sempre favorecem animais grandes e populares, enquanto ignoram animais menores que precisam de proteção. Manter animais em jaulas não contribui em nada para a manutenção de uma espécie na natureza. Se os zoológicos realmente quisessem salvar animais da extinção, estariam ajudando a proteger os habitats naturais desses animais e não mantendo-os em prisões.

4 – Zoológicos não são educacionais

Provavelmente a maior mentira que os zoológicos contam para as pessoas que os visitam é que elas vão aprender sobre animais selvagens. Mas a única coisa que os zoológicos ensinam é que não há problema em manter animais em cativeiro, entediados, apertados, solitários e longe de casa. A maior parte dos visitantes fica apenas alguns minutos em cada jaula e aprende muito pouco sobre os animais que está vendo. Informações do lado das jaulas muitas vezes não abordam mais que nome da espécie, dieta e habitat natural.

O comportamento natural de um animal não é tratado pois eles não têm uma vida normal/natural em um zoológico. Por exemplo, as asas dos pássaros podem ser cortadas para que eles não voem; animais aquáticos muitas vezes não têm água com tratamento adequado; e muitos animais, que naturalmente vivem em grandes rebanhos ou grupos familiares, são mantidos solitários ou, no máximo, em pares.

5 – Zoológicos são perigosos para os animais

Se você realmente pensar sobre isso, zoológicos são basicamente prisões que deixam os animais sem meios de defesa, ou de escape de situações perigosas. Animais em zoológicos por todo o mundo já foram envenenados, deixados esfomeados, sem tratamento veterinário adequado, e até queimados em incêndios. Outros animais morreram depois de comer lixo que foi jogado em suas jaulas, e alguns animais apanham ou são mortos. Durante desastres naturais como enchentes, incêndios e furacões, animais nos zoológicos muitas vezes são abandonados sem nenhuma assistência ou forma de fugir.

Por: Yuri Faiani Branco (da Omnisciência – Cultura da Paz - http://www.omnisciencia.com.br/)