02/09/2014 Noticia AnteriorPróxima Noticia

O Programa Empreender começa a promover resultados

O Programa Empreender da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (Acianf), que ainda está aberto para a adesão de novos membros, tem a proposta de organizar o empresariado de modo a desenvolver novas lideranças, organizar as demandas e necessidades empresariais, melhorar o resultado das micro e pequenas empresas, incentivar a busca de novos mercados e tecnologias, além de contribuir para o desenvolvimento de Nova Friburgo. Atualmente o programa está dividido em quatro núcleos territoriais em Olaria, Conselheiro Paulino, Lumiar e Ponte da Saudade e um setorial, no Centro. A tendência é que, em seu devido tempo, os grupos territoriais deixem de tratar questões gerais de suas regiões para se organizarem por ramo de atividade. Seja como for, as reuniões que estão levantando as demandas e pontos fortes de cada localidade já começaram a promover mudanças positivas para os participantes e para as localidades envolvidas.

O grupo setorial do Centro, chamado Serra do Silício, de empresas ligadas a área de tecnologia da informação (TI), acabou de fechar uma turma com 15 empresas para o Projeto Startup do Sebrae-RJ. Esse programa almeja preparar empresas e empreendedores do setor para que elas despontem através da utilização de técnicas específicas para o desenvolvimento desse tipo de negócio. Através do Projeto Startup os empresários entram em contato com metodologias para geração de negócios, desenvolvimento da relação com o cliente, design inteligente, entre outros pontos necessários para que qualquer empresa desponte no mercado. Em breve o grupo Serra do Silício pretende promover um encontro de tecnologia para dar visibilidade aos produtos que vem sendo desenvolvidos e para a formação de novas parcerias.

O grupo territorial composto por empresários e moradores de Lumiar avançou no diálogo com o poder público e acordou uma reformulação no posicionamento das caçambas de lixo. Já o INEA ficou responsável pela gestão dos resíduos sólidos da região, enquanto os resíduos estratificados de confecções (tecidos, caixas de papelão, cones, linhas) e de bares e restaurantes (óleo, vidro, latinha etc e resíduos orgânicos), seriam encaminhados para o Núcleo Ambiental de Vivências Ecológicas (NAVE). Após a concretização dessas demandas, outras ações serão tomadas em prol do turismo e do agronegócio na região.

Já o núcleo territorial de Olaria que vinha reivindicando melhorias para a mobilidade urbana local recebeu a resposta da FAOL que pretende promover um estudo para avaliar: o custo operacional das solicitações; a necessidade de infraestrutura local para a instalação de linhas circulares; a utilização de micro-ônibus para determinadas linhas; viabilidade para preço diferenciado; estudos para adequação de itinerários visando a mobilidade urbana, entre outros. Um representante da AUTRAN registrou as observações sobre os temas tratados e explicou um pouco sobre o funcionamento do órgão, prometendo responder em breve as questões tratadas. Um representante da Universidade Estácio de Sá também entrou em contato confirmando a parceria da entidade na realização de pesquisas.

Os empresários do núcleo territorial da Ponte da Saudade levantaram os pontos fortes e fracos da localidade em busca de demandas e aprimoramentos. Após debaterem, concluíram que a economia do bairro se beneficiaria com uma melhor divulgação visual para os motoristas; um ponto de informações do polo local; mais segurança e sinalização do trânsito para diminuir a velocidade excessiva dos carros, entre outras medidas. Contudo, em contrapartida, reconheceram como pontos fortes o evidente potencial para o turismo de compras, a qualidade dos produtos de moda íntima ofertados e a ocasional troca de informações e produtos entre os lojistas. Em termos de ações, está previsto a construção de um site contendo informações sobre as empresas e o polo, a realização de cursos de capacitação empresarial e atendimento qualificado, além da divulgação midiática do polo em cidades vizinhas.

Todas essas conversas, atividades e parcerias entre empresários visando o bem comum, caracterizam-se como práticas do associativismo. A Acianf acredita no esforço conjunto, especialmente entre as micro e pequenas empresas locais, como uma forma de melhorar a qualidade tanto dos negócios regionais quanto de nossa cidade. Qualquer empresa ou empresário autônomo devidamente regularizado pode se associar à Acianf e desfrutar de uma série de benefícios e participar das atividades em prol de sua comunidade. Para mais informações, acesse o site www.acianf.com.br ou entre em contato pelo telefone 22 2522-1145.

Por: Assessoria de comunicação da ACIANF