20/02/2013 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Fórum Econômico Mundial alerta que riscos climáticos são ameaça crescente.

O Fórum Econômico Mundial lançou um relatório com uma pesquisa de mais de 1000 especialistas da indústria, governos e academias que analisa 50 riscos globais em termos de impactos, probabilidade e interconexões.

De um modo geral, o documento sugere que o mundo corre cada vez mais riscos à medida que os impasses econômicos enfraquecem a capacidade de se enfrentar os desafios ambientais.

O relatório ressalta que a grande diferença de renda, seguida pelos desequilíbrios fiscais, são os dois maiores riscos globais, mas o aumento das emissões de gases do efeito estufa aparece logo em seguida.

Rainer Egloff, da seguradora Swiss Re, declarou que as mudanças climáticas contribuem para outros riscos identificados pelos participantes da pesquisa, como preocupações com a oferta de alimentos e água e riscos relacionados à saúde.

“O estresse contínuo do sistema econômico está posicionado para absorver a atenção dos líderes no futuro próximo. Enquanto isso, o sistema ambiental da Terra está simultaneamente ficando sob crescente estresse. Os futuros choques de ambos os sistemas podem desencadear a ‘tempestade global perfeita’, com consequências potencialmente insuperáveis”.

“Na frente econômica, a resiliência global está sendo testada por políticas fiscais austeras. Na frente ambiental, a resiliência da Terra está sendo testada pelo aumento das temperaturas globais e eventos climáticos extremos que provavelmente se tornarão mais frequentes e severos. Um colapso grande e repentino em uma frente certamente prejudica a chance da outra de desenvolver uma solução efetiva e em longo prazo”, acrescenta.

Segundo John Drzik, diretor executivo do Fórum: “duas tempestades – ambiental e econômica – estão a caminho de uma colisão. Se não alocarmos recursos necessários para mitigar o crescente risco de eventos climáticos severos, a prosperidade global para futuras gerações pode ser ameaçada. Líderes políticos, líderes empresariais e cientistas precisam se unir para administrar esses riscos complexos”, comentou Drzik.

Por: ForumSec21