25/12/2012 Noticia AnteriorPrxima Noticia

Reflexes sobre o caminho espiritual

Num momento em que o mundo precisa de mais espiritualidade, compreenso e compaixo, o Jornal Sculo XXI abre espao para a reflexo daqueles que pensam e vivem o caminho espiritual, seja de que doutrina ou credo pertenam, o importante que contribuam positiva e coerentemente com a transcendncia e transformao do ser humano. Neste esprito de troca instrutiva e de debates espirituais, muito bom conhecer a viso de vrias religies, entre elas, o Budismo, a religio do Dalai Lama, um dos autores que mais vendem livros no ocidente na atualidade. As reflexes abaixo tem esta viso...

Alexandre Saioro

Em algum momento de nossas vidas, quando comeamos a questionar se as buscas pelas aquisies e conquistas do mundo podem trazer felicidade, paz e harmonia duradouras, podemos comear a nos interessar pelas questes espirituais. Percebendo a constante insatisfao que a vida mundana nos proporciona, podemos buscar solues para o nosso sofrimento nos aspectos transcendentes de nossa existncia.

Todo este questionamento muito saudvel, podendo nos trazer mais lucidez para no sermos eternas vtimas das falsas promessas que o mundo material nos oferece.Mas, o que, normalmente, vemos quando iniciamos este movimento que acabamos nos relacionando com a busca espiritual com a mesma mentalidade com que nos relacionamos com as coisas do mundo. Assim, ao invs de buscarmos adquirir mais dinheiro, prazer, fama, sucesso, relacionamentos, etc., buscamos adquirir capacidades e poderes espirituais, contatos com seres e mundos superiores ou, simplesmente, buscamos a salvao, a paz, a iluminao e todo o tipo de satisfaes idealizadas e preconcebidas. Ou seja, mudamos apenas os objetos na busca de satisfao e realizao de desejos e ambies pessoais. No percebemos que um caminho espiritual autntico segue contra a correnteza da busca de qualquer tipo de engrandecimento do eu.

Nas palavras do mestre budista tibetano Chogyam Trungpa:

- O percurso correto do caminho espiritual um processo muito sutil e no alguma coisa que possamos atirar-nos ingenuamente. Existem numerosos desvios que levam a uma distoro egocentrada da espiritualidade; podemos iludir-nos imaginando que estamos nos desenvolvendo espiritualmente quando, na verdade, no fazemos seno fortalecer nosso egocentrismo por meio de tcnicas espirituais. A essa distoro bsica pode dar-se o nome de materialismo espiritual. Se formos bem sucedidos em manter a conscincia que temos de ns mesmos atravs de tcnicas espirituais, o desenvolvimento espiritual autntico ser altamente improvvel. Nossos hbitos mentais se tornam to fortes que fica difcil penetr-los. Podemos at chegar ao desenvolvimento totalmente demonaco da completa Egoidade. (Alm do Materialismo Espiritual - Chogyam Trungpa Ed. Cultrix)

No so poucos os exemplos de tal desvio em diversas propostas espirituais que encontramos no grande (e lucrativo) supermercado espiritual oferecido atualmente. Da mesma forma, podemos ver tais desvios em vises espirituais srias e bem intencionadas que trazem at certo benefcio, mas que no diferem muito da mentalidade comum de proporcionar mais uma conquista para o ego vido por felicidade e sentido de vida. Tal perspectiva apenas sofistica e sutiliza o sofrimento, mas no elimina a sua raiz.

Voc pode estar se perguntando, ento, qual caminho espiritual que no cai nas malhas do materialismo espiritual?

Creio que ao nos voltarmos para um caminho espiritual seja inevitvel nos envolvermos, inicialmente, com o materialismo espiritual. Parece que precisamos ainda ser seduzidos, atravs de nossos hbitos egocentrados, por uma realizao pessoal idealizada para podermos ir alm disso. O cerne da busca (e do materialismo) espiritual est no desejo pessoal de felicidade. Mas um caminho espiritual autntico ir sempre nos conduzir ao questionamento deste tipo de desejo.

Mas, ento, o que fazemos para escaparmos desta tendncia ao materialismo espiritual e efetivamente eliminar o sofrimento?

Desista, desista de resultados, de adquirir algo com a prtica espiritual. Perceba como absurdo querer ganhar algo ao se voltar para a espiritualidade, pois, na verdade, ela tem a funo de nos despir de toda e qualquer ambio para que possamos nos quedar diante da perfeio deste momento presente.

Ouamos o que diz novamente Chogyam Trungpa:

A diferena entre o materialismo espiritual e transcender o materialismo espiritual que, no materialismo espiritual, promessas so usadas como uma cenoura na frente do burro, nos atraindo para todo tipo de jornada.Transcendendo o materialismo espiritual, no h nenhum objetivo. O objetivo existe em cada momento de nossa situao na vida, em cada momento de nossa jornada espiritual. Dessa maneira, a jornada se torna to excitante e bonita como se j fssemos Buda.H novas descobertas constantes, mensagens constantes, avisos constantes. H tambm cortes constantes, lies dolorosas constantes, assim como lies prazerosas. A jornada de transcender o materialismo espiritual uma jornada completa, em vez de uma que depende de um objetivo externo.

(Chogyam Trungpa - Crazy Wisdom)

Paradoxalmente, ao compreender esta viso, veremos que a desistncia ou renncia a um objetivo nos coloca na frente de um objetivo. E ser preciso ainda um esforo para nos soltarmos de todo e qualquer esforo para alcanar este estado sem objetivo. Esta a grande ironia da jornada: Parece que temos que ser vencidos pelo cansao do ego onde o sucesso s se realiza atravs do seu prprio fracasso.

O psiclogo Hubert Benoit descreve muito bem esta situao ao falar da conquista da humildade:

Todo o esforo visando conquistar a humildade s poder levar a uma falsa humildade na qual eu ainda estarei me exaltando egotisticamente atravs do dolo que criei para mim. absolutamente impossvel que eu me rebaixe a mim mesmo, isto , que eu mesmo diminua a intensidade de minha reivindicao de ser.

A conquista da humildade, impossvel diretamente, supe, portanto, o uso da humilhao.(Hubert Benoit - A Doutrina Suprema - Pensamento)

Haveria lugar melhor para tal realizao do que este mundo rodeado de possibilidades de humilhao?

Benoit termina este pensamento com a seguinte lembrana do que precisamos entender para no desperdiarmos esta grande oportunidade espiritual de viver no mundo:

Lembremo-nos de que, para ns, a natureza das coisas o melhor, o mais afetuoso e o mais humilhante dos mestres; ela nos envolve com sua vigilante ajuda. A nica tarefa que nos cabe compreender a realidade e deixar que ela nos transforme.

Alexandre Saioro professor do Programa de Reduo do Estresse - A Arte do Estresse - e instrutor Budista em Nova Friburgo - alexsaioro@hotmail.com

Por: ForumSec21