28/05/2012 Noticia AnteriorPróxima Noticia

ONG "Diálogo" trabalha por novas relações sociais em Nova Friburgo

Em Nova Friburgo, duas mulheres; Janaina Batista e Fernanda Milanez cumprem uma tarefa muito importante coordenando a ONG “Diálogo”, que surgiu após a catástrofe de 2011, com o objetivo de ajudar a reconstruir o nosso município sob um novo viés econômico, ambiental e social, mas, principalmente, com um amplo envolvimento das comunidades nas decisões acerca do nosso destino comum.

Bernardo Fonseca

Diferentes pessoas unidas por um objetivo em comum: recons-truir Nova Friburgo sob um novo viés, dando mais poder às comunidades e estimulando a participação cidadã no desenvolvimento do município.

No período posterior a tragédia de 2011, em meio às turbulências que assolaram o município, um grupo de pessoas, incluindo lideranças comunitárias, empresários e pessoas de diferentes posições sociais se destacou ao buscar soluções em meio ao caos.

Percebendo a abundância de boas idéias e ações, mas um absoluto desencontro de informações e desperdício de potencial, estas pessoas iniciaram encontros e uma articulação entre o governo, empresários, sociedade civil organizada e a população em geral. Sentindo a falta de um canal onde esses grupos podessem se expressar e recorrer, surgiu a ONG “Diálogo – Por novas relações sociais” como espaço de comunicação e articulação da sociedade para o desenvolvimento de Nova Friburgo.

O diagnóstico da realidade local

Com o trabalho de fazer um mapeamento e um diagnóstico das associações de bairros e comunidades e também a investigação sobre as experiências realizadas, “a iniciativa” percorreu diversos bairros, reuniu e trocou idéias com os mais diversos setores e movimentos, construindo, de forma coletiva e aberta, o estatuto do grupo.

Com o passar do tempo e o surgimento de alguns obstáculos como a falta de base institucional diante dos empecilhos burocráticos, principalmente, na hora de lidar com o poder público, com empresas ou organizações, a “Diálogo” foi fundada no dia 29 de julho em uma assembléia que contou com 38 sócio-fundadores.

Diálogo - uma pequena história de grandes conquistas

Duas mulheres coordenam o projeto. São elas: Fernanda Milanez, pedagoga, e Janaina Gralato, professora, que abriram mão de suas carreiras para se dedicarem inteiramente ao trabalho na “Diálogo”.

Um dos incentivos para o prosseguimento das atividades foi o surgimento de doadores físicos e jurídicos que não queriam somente que suas doações fossem aplicadas em ações assistencialistas ou emergenciais, como compra de alimentos, rou-pas e remédios, mas também em projetos que mexessem nas raízes dos problemas e que pudessem evitar, no futuro, outros tipos de catástrofes sociais, reduzindo as vulnerabilidades da cidade a choques climáticos, ambientais, econômicos e sociais.

Articulação, Comunicação Comunitária e Formação...

Em setembro de 2011, aconteceu o “Programa de Fortalecimento de Cidadania” com o qual a organização começou oficialmente as suas atividades, reunindo onze associações de moradores e trabalhando em três pontos principais: articulação, comunicação comunitária e formação, de forma a dar poder, no longo prazo, às comunidades envolvidas para que elas possam agir por si próprias para o fortalecimento da participação popular e exercício da cidadania.

Plano de Emergencia da Sociedade Civil (PESC)

Desde então, a instituição vem firmando contato com os núcleos vivos da sociedade: movimentos e lideranças sociais, órgãos públicos, sindicatos, associações empresariais e comerciais, etc. Um dos resultados desse processo foi a aprovação pelo Comitê de Gestão Estratégica do CODENF, em dezembro, do Plano de Emergência da Sociedade Civil (PESC) com o objetivo de identificar as opiniões, sugestões, críticas e anseios da população de cada bairro em complemento ao Plano de Apoio à Defesa Civil.

O projeto também ganhou a parceria das ONGs “Care Brasil” e “Eccosocial da Região Serrana” e também o apoio do “GAM – Grupo Articulação dos Movimentos”, tendo reunido cerca de 20 bairros da cidade, em um evento na sede da Associação Comercial Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (ACIANF), onde houve uma apresentação do plano e um mapeamento, cadastramento e identificação das lideranças comunitárias de cada localidade, que poderiam fazer uma grande diferença em uma situação de crise.

Um marco da iniciativa foi a realização de um evento na Praça Dermeval Barbosa Moreira no dia 12 de janeiro de 2012, lembrando o aniversário de um ano da catástrofe, onde o PESC foi o ponto central junto ao lançamento da Campanha Cidades Resilientes da “Care Brasil”, como forma de apresentar a sociedade o resultado do trabalho e da dedicação por esta causa. A partir de então, o plano cresceu de forma exponencial, alcançando um total de 50 bairros integrantes, tornando o trabalho mais desafiador diante da falta de recursos humanos e financeiros, encarado com bravura pelos participantes que não se intimidaram diante das dificuldades.

Projeto em fase final

Em abril, o projeto encerra sua fase final, onde todas as informações coletadas serão reunidas sob um relatório final, a ser apresentado e entregue oficialmente ao poder público municipal no dia 23 de maio, simbolizando a consolidação do PESC.

Janaina Gralato, coordenadora da Diálogo, afirma que este não é o fim, mas apenas o começo de um longo processo de empoderamento das comunidades.

O próximo passo é o aprofundamento da Campanha Cidades Resilientes, novamente em parceria com a ONG “Care Brasil”, e o lançamento da iniciativa “Cidade Cidadã” como uma 2ª edição do programa de mobilizações dos bairros. Um exemplo claro de como cidadãos diversos unidos sob um objetivo comum, aliando trabalho e o amor por Nova Friburgo para provocar mudanças sociais.

A ONG Diálogo fica sediada na Avenida Alberto Braune, nº 223, ao lado da Prefeitura Municipal, na antiga rodoviária Leopoldina. Os contatos podem ser feitos pelo telefone (22) 4105-0785 (fixo) e pelo e-mail dialogo@dialogosocial.com.br.

Bernardo Fonsecaé estudante

de Comunicação Social na Universidade Estácio de Sá

Por: ForumSec21