23/03/2012 Noticia AnteriorPróxima Noticia

FAO pede que o mundo reduza desperdício de água e de alimentos

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) pediu à comunidade internacional para reduzir o desperdício de água, por ocasião da comemoração do Dia Mundial da Água, nesta quinta-feira (22).

Segundo a entidade, cuja sede fica em Roma, calcula-se que a cada ano sejam desperdiçados cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos e que uma redução de 50% nessas perdas e do desperdício de alimentos em nível mundial permitiria economizar cerca de 1.350 km³ de água a cada ano.

“A agricultura e a segurança hídrica estão interconectadas”, afirma a FAO. “Cerca de 1,6 bilhão de pessoas vivem em países ou regiões com absoluta escassez de água e em 2025 dois terços da população do planeta poderiam viver sob condições de estresse hídrico”, calcula a agência especializada das Nações Unidas.

O desperdício de água na produção alimentar preocupa as autoridades internacionais. Se uma pessoa bebe uma média de 2 a 4 litros de água por dia, são necessários de 2.000 a 5.000 litros de água para produzir os alimentos que consome em um dia.

“A agricultura é responsável por 70% do total do consumo de água potável e água subterrânea em nível mundial”, enfatiza a entidade, que organizou uma cerimônia em sua sede central de Roma.

Fome – O êxito na luta contra a fome depende de um melhor uso da água, sustenta a agência, que pede uma melhor gestão de “certos recursos hídricos limitados” para alimentar o planeta. Em uma declaração lida no començo da cerimônia, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu “um uso sustentável” do recurso limitado mais importante no mundo.

“A menos que aumentemos nossa capacidade de utilizar a água sabiamente na agricultura, não conseguiremos acabar com a fome nem com uma série de problemas diversos, como a seca e a instabilidade política”, alertou Ban Ki-moon.

Segundo a ONU, em muitas partes do mundo, a escassez de água está aumentando e a taxa de crescimento da produção agrícola desacelerou, explicou o responsável da ONU.

Ao mesmo tempo, as mudanças climáticas estão agravando os riscos e a incerteza entre os agricultores, “em especial os agricultores pobres nos países de baixa renda, que são mais vulneráveis e os menos capazes de se adaptar”.

O dirigente da ONU considera que garantir a segurança alimentar e hídrica sustentável para todos “requerirá a transferência das tecnologias hídricas adequadas, a promoção dos pequenos produtores de alimentos e a conservação dos serviços ecossistêmicos essenciais”.

Ki-moon pediu também políticas que promovam o direito à água para todos, uma maior capacidade regulatória e igualdade de gênero. “A água desempenhará um papel-chave na construção do futuro que queremos”, disse.

Todo dia 22 de março, a aliança ONU-Água, da qual participam 28 organismos das Nações Unidas, comemora o Dia Mundial da Água como forma de chamar atenção da opinião pública sobre a necessidade de gerir de forma sustentável os recursos hídricos.

Por: G1