01/04/2011 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Excesso de carbono altera ciclo de florestas da Amazônia, aponta pesquisa

Estudo realizado por um pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) reforça que o excesso de carbono na Amazônia contribui com o efeito estufa, fenômeno que ajuda no aumento da temperatura, e altera o ciclo das florestas tropicais.

Ricardo Antonio Marenco Mendonza, em sua pesquisa, diz que os prognósticos apontam, para os próximos 50 a 100 anos, uma atmosfera rica em CO2, influenciada pelo fenômeno El Niño.

Conforme Mendonza, o efeito combinado entre o aumento de CO2 e a redução da evapotranspiração, associado ao desmatamento, causará aumentos significativos na temperatura.

Seus modelos apontam que, se a destruição das florestas mantiver as taxas atuais, no futuro a grande maioria dos produtos madeireiros será obtida de plantios ou florestas secundárias.

O projeto de Mendonza estuda o efeito das mudanças do clima local e global na fisiologia e no crescimento de espécies arbóreas de uma floresta primária de terra firme, assim como observa os efeitos das mudanças sazonais nas variáveis do clima, principalmente da precipitação na fisiologia foliar e no crescimento das árvores.

Para o pesquisador, os resultados deste projeto podem servir de base para estudos que visem determinar como as florestas tropicais respondem às oscilações no clima e às mudanças globais causadas pela deposição de dióxido de carbono na atmosfera, associadas à atividade humana.

A pesquisa está sendo desenvolvida na Estação Experimental de Silvicultura Tropical - ZF2, do Inpa, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Por: Amazonia.org