23/03/2011 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Ministra abre Ano Internacional das Florestas no Brasil

As florestas do planeta cobrem 31% da área terrestre, garantem a sobrevivência de 1,6 bilhão de pessoas e abrigam cerca de 300 milhões de habitantes. Com o objetivo de destacar a importância destas áreas para a manutenção da vida no globo, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2011 como o Ano Internacional das Florestas.

Para marcar o acontecimento no Brasil, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, realizou nesta terça-feira (22), no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, a abertura oficial do evento no País.

Durante o evento, houve a abertura da exposição “A Mãe D´Água”, sobre o Cerrado. Também foi lançado o site do Ano Internacional das Florestas, e os alunos da Oficina Escola de Lutheria da Amazônia fizeram uma apresentação em que utilizaram instrumentos produzidos por eles mesmos a partir de madeira de árvores não ameaçadas e de origem certificadas. O evento foi encerrado com o show do cantor Milton Nascimento.

No decorrer de todo este ano serão realizados eventos para sensibilizar a sociedade sobre a importância da preservação das florestas em prol de uma vida sustentável no planeta. O tema do Ano Internacional é “Proteja as florestas, elas protegem você”, e o slogan foi criado para destacar a relação entre estes territórios e as pessoas que deles dependem.

Em mensagem no site oficial das Nações Unidas, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, destacou que é preciso “educar a comunidade global sobre o grande valor das florestas”. Ele ressaltou a importância das áreas florestais para o meio ambiente, para a economia e a erradicação da pobreza.

Serviços – As florestas fornecem produtos madeireiros e não madeireiros, são fonte de plantas medicinais, objeto de pesquisas e estudos e oferecem ainda serviços de recreação e turismo. Além disso, garantem água potável, reduzem a poluição do ar, regulam o clima, protegem a biodiversidade e promovem a manutenção e fertilização do solo.

O uso sustentável destes territórios também ajuda muitas populações rurais a satisfazerem necessidades básicas de subsistência, como alimentos, água, combustíveis e remédios.

Florestas brasileiras – O Brasil é o segundo país com a maior extensão florestal do planeta – o primeiro é a Rússia. Possui 516 milhões de hectares de florestas naturais e plantadas, o que equivale a 60,7% do território nacional, de acordo com dados do Serviço Florestal Brasileiro (SFB).

É ainda a nação com maior extensão de florestas tropicais do mundo, e a conservação desta megabiodiversidade terrestre está intrinsecamente relacionada à conservação da cobertura florestal nacional.

Alguns dos biomas mais ricos do mundo também podem ser encontrados no País (Amazônia, Caatinga, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica, Pampa e Zona Costeira e Marinha), o que reflete a riqueza das florestas brasileiras, que detêm mais de 20% do número total de espécies do planeta. Somente a Amazônia responde por cerca de 26% das florestas tropicais remanescentes do

mundo.

Utilização – A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) definiu algumas funções prioritárias para o uso de áreas florestais. No Brasil, a maior parte das florestas (cerca de 190 milhões de hectares) ainda têm uso prioritário desconhecido ou indefinido, mas, já existem 128.244.660 de hectares ocupados por reservas de desenvolvimento sustentável (unidades de conservação de uso sustentável), extrativistas e terras indígenas. Estas áreas são consideradas como função prioritária de serviço social por incluir populações indígenas e comunidades tradicionais entre as beneficiárias do uso da floresta.

As outras áreas de florestas estão divididas entre os seguintes usos: 85.148.800 de hectares para proteção do solo e recursos hídricos (estimativa de 10% da área total do país em áreas de preservação permanente); 49.991.010 de hectares para conservação da biodiversidade em unidades de conservação federais e estaduais, em sua maioria de proteção integral; 32.284.110 de hectares para a produção madeireira e não madeireira em florestas nacionais, estaduais e florestas plantadas; e 30.798.320 de hectares de áreas de proteção ambiental, outra categoria de unidades de conservação de uso sustentável que permitem usos múltiplos, como áreas urbanas.

As florestas brasileiras também garantem 615.947 empregos formais, segundo dados de 2009 do Ministério do Trabalho e Emprego. A maioria destes trabalhadores, cerca de 172.740, ocupa cargos na indústria moveleira. O segundo lugar no ranking de postos de trabalhos em territórios florestais é é do setor de produção de celulose e papel (163.182), seguido pelo ramo de desdobramento de madeira (83.114), produção florestal em florestas plantadas (62.877), atividades de apoio à produção florestal (44.419), produção de estruturas e artefatos de madeira (43.742) e produção florestal em florestas nativas (6.382).

Carine Corrêa

Por: MMA