27/09/2010 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Humanistas homenageiam Silo em sua partida

O escritor e pensador Mario Luis Rodríguez Cobos, mais conhecido como Silo, fundador do Movimento Humanista, morreu no dia 16 de setembro último, aos 72 anos em sua casa, em Mendoza, Argentina.

Silo enfrentava há mais de um ano uma insuficiência renal e havia decidido não fazer transplante, nem hemodiálise ou dieta. Segundo Tomás Hirsch, seu amigo há décadas e ex-candidato à presidência do Chile,“ele faleceu como alguém que não apenas não acreditava na morte, mas sobretudo considerava a vida como parte de uma transcendência”.

A Comunidade para o Desenvolvimento Humano, a Convergência das Culturas, o Centro Mundial de Estudos Humanistas, o Partido Humanista e o Mundo sem Guerras e sem Violência são organizações, entre outras frentes de ação, inspiradas pelo Humanismo Universalista, corrente de pensamento fundada por Silo e que convoca à luta contra toda forma de violência e discriminação, indicando a necessidade de uma transformação social e pessoal simultâneas baseadas na coerência e na solidariedade.

Sua primeira aparição pública aconteceu em 4 de maio de 1969, com a arenga "A Cura do Sofrimento", em que lançou as bases para a formação do Movimento Humanista, em plena ditadura militar na Argentina.

Com a notícia de seu falecimento, em pouco tempo, os humanistas se reuniam nos Parques de Estudo Reflexão – projeto lançado por Silo em 2002. Em países tão diferentes quanto Filipinas, Moçambique, Brasil, Alemanha, Bolívia, México, Espanha, Itália, Índia, Chile, Colômbia, Hungria e Estados Unidos, os ativistas se reuniram nesses espaços dedicados ao estudo, ao autoconhecimento e à não-violência para celebrar a vida de um homem cujas ações transcendem esse espaço e esse tempo.

Sua última aparição pública ocorreu no encerramento da Marcha Mundial pela Paz e Não-Violência, que partiu da Nova Zelândia, em 2 de outubro de 2009 e terminou em Punta de Vacas, Mendoza, Argentina, em 2 de janeiro de 2010. Essa ação inspirada por Silo transformou-se em uma grande mobilização planetária para exigir o desarmamento nuclear mundial, o fim das guerras, a retirada das tropas invasoras dos territórios ocupados, além de criar consciência sobre os diversos tipos de violência exercidos pelo sistema e a violência interna que precisa ser desarmada em cada um através do compromisso com a não-violência.

Sua obra inclui os títulos O Olhar Interior (1980), A Paisagem Interna (1981), Humanizar a Terra (1989), Experiências Guiadas (1989), Contribuições ao Pensamento (1991), Mitos, Raízes Universais (1991), Cartas a meus Amigos (1993), O Dia do Leão Alado (1993), Dicionário do Novo Humanismo (1996), Fala Silo (1996), Apontamentos de Psicologia (2006).

A morte ocorreu no dia 16 de Setembro, em Mendoza - Argentina às 23:05

Os humanistas de todo o mundo,lamentam informar a morte do pensador Mário Rodrigues Cobos (Silo), fundador do "Humanismo Universalista" ou "Novo Humanismo" - corrente de pensamento que deu origem a diversos organismos: A Comunidade para o Desenvolvimento Humanis, o Partido Humanista, o Centro das Culturas (agora chamado de Convergência das Culturas), o Centro Mundial de Estudos Humanistas, o Mundo Sem Guerras e Sem-Violência, além de inúmeras frentes de ação.

Estes organismos realizaram a Marcha Mundial pela Paz e pela Não-Violência, que viajou o mundo, a partir de Wellington, na Nova Zelândia em 02 de outubro de 2009 para terminar em Punta de Vacas, Mendoza, Argentina em 02 de janeiro de 2010.

Nos últimos anos, com o objetivo de espalhar A Mensagem de Silo, seus amigos e discípulos criaram vários Parques de Estudo e Reflexão; Punta de Vacas (Mendoza), La Reja (Buenos Aires), Molas (perto de Santiago de Chile) e estão em construção, com diferentes níveis de desenvolvimento, outros 27 espalhados em África, América do Norte, Central e América do Sul, Ásia e Europa.

Neste momento, milhares de pessoas ao redor do mundo estão vinculados à nivelação (preparação aos estudos das quatro Disciplinas: Energia, formal, material e mental); enquanto outros milhares de pessoas já as estão cursando, e centenas já as têm concluídas e estão se preparando para o aprofundamento dos aprendizados.

Simultaneamente, a proposta política, as organizações que divulgam a Não-Violência, aqueles que lutam contra todas as formas de discriminação, visando o desarmamento nuclear e marcham pela paz, os dedicados ao estudo da ética do conhecimento, bem como os que buscam a convergência das culturas, trabalham socialmente com o objetivo de lançar as bases de uma Nação Humana Universal.

O trabalho do Mestre Silo está presente no mundo e sua memória viverá nas mentes das pessoas que têm conhecido sua doutrina, cujo valor fundamental e preocupação são os seres humanos.

Por: Movimento Humanista