10/08/2010 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Reforma do Código Florestal antecipa devastação das florestas no Brasil e aumento do número de catástrofes ambientais

É chocante, a Comissão Especial da Câmara, tomada por deputados ruralistas, ter conseguido enfraquecer o Código Florestal Brasileiro. Porém, a lei ainda não foi a votação então ainda podemos salvar nossas florestas.

A campanha pelo Código Florestal tem chamado a atenção de Brasília; houveram algumas revisões no texto e foi entregue uma petição para deputados e líderes partidários. É preciso muito mais pressão da sociedade para podermos encarar o poderoso agronegócio.

Cada e-mail, carta ou manifestação dos cidadãos será muito importante nesta luta. Se o cidadão não tiver nenhuma ideia de como apoiar a luta, pode visitar a página da Ong Avaaz

e fortalecer a sua iniciativa para salvar o Código Ambiental Brasileiro (http://www.avaaz.org)

Retrocesso

“Enquanto o mundo todo está discutindo como preservar as florestas para futuras gerações, um grupo de deputados está fazendo exatamente o contrário: estão tentando entregar as nossas florestas para os responsáveis pela devastação e desmatamento do Centro-Oeste e da Amazônia.

As propostas absurdas incluem:

1 - Reduzir ou até mesmo elimintar a Reserva Legal e Áreas de Preservação Permanente como margens de rios e lagoas, encostas e topos de morro, para certas propriedades

2 - Anistia total aos crimes ambientais, sem tornar o reflorestamento da área uma obrigação

3 - Transferir a legislação ambiental para o nível estatal, removendo o controle federal .

Essa não é uma escolha entre ambientalismo e desenvolvimento. Um estudo recente mostra que o Brasil ainda tem 100 milhões de hectares de terra disponíveis para a agricultura, sem ter que desmatar um único hectare da Amazônia. A proteção das floretas e comunidades rurais depende do Código Florestal, assim como a prevenção das mudanças climáticas e a luta contra a desigualdade.”

Desmatamento e Efeito Estufa

Um cálculo do Greenpeacealerta que, no caso de serem aprovadas as mudanças no Código Florestal, serão desmatados mais de 85 milhões de hectares. A opinião é compartilhada por Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, superintendente de conservação do Fundo Mundial para a Natureza (WWF-Brasil). O especialista em ecologia chama a atenção para o agravamento de desastres naturais do tipo desmoronamento de terra emuito mais chuvas, como ocorreu em Santa Catarina em anos recentes. No caso de a iniciativa de reforma do Código Florestal prosperar, antecipa-se “eventos climáticos extremos com mais frequência e força”, disse. Tragédias como as do Nordeste, por exemplo, “são um exemplo do que pode ocorrer com o aumento do desmatamento, e, no caso do Brasil, com as florestas tropicais como um todo”. No país o desmatamento responde por 75% das emissões de gases-estufa, que provocam o aquecimento global. Com o que qualifica de “código de desmatamento” a tendência seria aumento “desses eventos climáticos extremos”, como chuvas torrenciais fora de época e em quantidade acima da média habitual, acrescentou.

Por: ForumSec21 com informações de Agencias