22/06/2010 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Movimento contra Usina Belo Monte recebe presidente com protestos

Em repúdio à visita do presidente Lula à cidade de Altamira, no Pará, marcada para amanhã (22), para lançar a Usina de Belo Monte, cerca de 400 manifestantes ocuparam, desde as cinco horas da manhã de hoje (21), a BR-230, conhecida como Rodovia Transamazônica. O presidente visita a região para lançar também os projetos de asfaltamento da Transamazônica e o programa Luz para Todos.

"Nós nos sentimos afrontados, desacatados com a vinda do Presidente Lula, porque ele vem depois de desrespeitar os indígenas, ribeirinhos, as populações do Xingu, as leis ambientais. Ele chegou ao ponto de arrematar o Leilão, se comprometendo com 80% da verba, com dinheiro público. Estamos sendo massacrados pela ditadura do Governo Lula", declarou Antonia Melo, integrante da coordenação do Movimento Xingu Vivo Para Sempre.

Além de defenderem a preservação do Rio Xingu, em Altamira, onde a usina hidrelétrica de Belo Monte deve ser construída, os manifestantes também protestam contra a situação de abandono da Transamazônica, que perdura há 30 anos. "Nós estamos também na rodovia reivindicando e exigindo a pavimentação da Transamazônica, pois já faz 30 anos, sai governo, entra governo e ninguém dá atenção à região", criticou a ativista do Xingu Vivo Para Sempre.

Segundo Antonia, os movimentos sociais e os povos do Xingu realizarão amanhã, forte manifestação contra Lula e contra Belo Monte. "Ele (Presidente Lula) não é bem vindo aqui. A manifestação é para que ele possa ver e sentir que aqui o povo tem luta e sabe o que é melhor para o desenvolvimento", indignou-se. As manifestações devem ocorrer a partir das 8h da manhã, na Praça do Matias, em frente à orla do cais de Altamira.

A Justiça Federal do Pará negou, hoje (21), em segunda instância, três recursos que pediam a suspensão da licença prévia para a construção da Usina Belo Monte. Outras liminares que podem suspender o licenciamento ambiental ainda aguardam julgamento no Tribunal Regional Federal 1 (TRF-1) e na Justiça Federal de Altamira. Os pedidos de suspensão foram levados adiante pelas organizações Amigos da Terra, Associação de Defesa Etnoambiental, e pelo Ministério Público Federal do Pará, no dia 20 de abril.

No último dia 15 de junho, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a homologação do leilão de Belo Monte, e o Consórcio Norte Energia já anunciou sua intenção de antecipar a assinatura do contrato de concessão da obra, para julho.

Transamazônica

Inaugurada no início da década de 70, com quatro mil quilômetros de extensão, a BR-230 é uma das maiores rodovias do país. Ela nasce na cidade de Cabedelo, na Paraíba, no Nordeste do país, e segue até Lábrea, no Amazonas, na região Norte. A rodovia Transamazônica corta os estados da Paraíba, Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, mas é no Pará e no Amazonas, que se verifica o seu abandono, já que nestes dois estados a BR ainda não é pavimentada.

Em virtude da sua construção, muitos danos ambientais foram causados na região amazônica, sendo que o principal deles é o desmatamento, em áreas próximas à rodovia. Como nessa região ela não é pavimentada, a Transamazônica fica intransitável entre os meses de outubro e março, período de chuvas na região.

Tatiana Félix

Por: Adital