19/06/2010 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Compartilhamento da leitura: prazer dividido, informação multiplicada

Na Biblioteca do Sesc, em Nova Friburgo, as pessoas estão se reunindo para trocar e conversar através do “POEMIA”, um evento de leitura compartilhada que acontece toda última quarta feira do mês, sempre às 19 horas.

Sergio Bernardo

Imaginemos a cena: crianças, jovens, adultos e idosos ao redor de uma fogueira, numa noite fresca de verão e sob o teto das estrelas, contando e ouvindo histórias da tradição oral da tribo. Transportemos a cena para os dias de hoje, em uma sala de aula, livraria ou biblioteca, tendo agora o livro como o grande “contador de histórias” para grupos diversificados de acordo com cada local: estudantes, professores, pessoas das mais variadas profissões que têm em comum o fato de serem leitores, “inveterados” ou iniciantes. Este salto no tempo, da história antiga ao momento atual, deixa claro que a reunião para compartilhar uma história, um texto, um poema, sejam ditos de cor ou lidos, é, ainda, um importante instrumento de sociabilização.

Mas não só. Prática hoje comum entre estudantes de todo o Brasil, desde uma escola na periferia de Rio Branco, Acre, até uma biblioteca em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, a leitura compartilhada tem avaliação positiva unânime dos que a promovem: não apenas é fundamental na formação de novos leitores, como auxilia no desenvolvimento do prazer pela leitura e na descoberta dos mundos imaginários.

A partir de um estudo desenvolvido através de uma ação continuada de compartilhamento de leitura para crianças e jovens em tratamento no hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba, Paraná, chamada Biblioteca Viva em Hospitais, foi detectado que essa prática desperta forte interesse em todos os envolvidos, levando os participantes a leituras intensas e extensas. Além disso, a pesquisa aponta estarem certas as idéias da corrente teórica do Letramento Social, como a de que a aprendizagem da leitura e a formação do leitor se dão como um processo social, partindo dos usos próprios que um grupo faz da leitura.

Tamanha importância fez, por exemplo, com que a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) elegesse um relato sobre a leitura compartilhada dirigida a crianças e adolescentes como temática do Concurso Leia Comigo!, de periodicidade anual e já na 9ª edição em 2010.

E Nova Friburgo, onde entra nessa história?

No Sesc Nova Friburgo, a reativação da biblioteca, a partir do final de 2009, coincidiu com a implantação da prática de leitura compartilhada entre adultos. Neste mês de junho acontecerá o 6º encontro, intitulado “Poemia”, que acontece sempre nas últimas quartas-feiras de cada mês.

Dia 26 de maio, minutos antes de começar a 5ª edição, bati um papo com Heloisa Vianna, responsável pelo projeto. Iniciamos falando sobre um sonho que ela acalenta: viabilizar oficinas literárias com jovens, carência sentida em Nova Friburgo, no que concordei com ela. “É um trabalho de formiguinha”, afirma Heloisa, referindo-se à conquista de intimidade do jovem com a escrita literária.

Mas se estimular a escrever é preciso, familiarizar as pessoas com o hábito de ler também é preciso. Daí desenvolver este projeto, focado não apenas no jovem, mas em todo indivíduo interessado no verbo ler. O “Poemia” é um evento que, entre outros objetivos, visa dar subsídio à formação de mediadores que possam, em seus locais de atuação profissional e/ou artística, multiplicar estas ações de compartilhamento da leitura. Outra finalidade é investir na democratização da leitura, através dos materiais disponíveis no acervo da biblioteca. “Afinal, a leitura não está só nos livros, está em tudo. Nós ‘lemos’ um filme, uma música, um quadro... Então, pretendemos também estabelecer uma interação com outras artes”.

Trocando mais informações, concluímos que uma atividade assim é importante se tornar sequencial, não adianta fazer uma ou duas edições e depois interromper a prática. O estímulo leva tempo. Se o participante for um jovem, ele ouve, interage, leva adiante, para a família, os amigos. Transmite essa vivência e, ao retornar ao espaço da leitura, já volta como um estimulador para o outro. “Na leitura se dá uma integração dos sentidos. Ler em voz alta mexe primeiro com a audição e depois o texto vai nos envolvendo, mexendo com nosso tato, nosso olfato, nosso paladar... Mexe com todo o nosso acervo pessoal. Porque, no fim, a gente só consegue passar pro outro o que sente, o que toma pra si”, destaca Heloisa.

E o “Poemia” se quer temático. Desde a 1ª edição, em novembro do ano passado, já foram abordados a poesia da consciência negra, o verão, a mulher (esta na obra de Chico Buarque), a literatura de cordel, as cartas (desde a famosa de Pero Vaz de Caminha até as pessoais). Em junho, mais precisamente na quarta, dia 30, o assunto será o futebol, aproveitando a “deixa” da Copa do Mundo.

Ao término da conversa e instigada por mim, sobre qual seria mais importante, a leitura individual ou a compartilhada, Heloisa foi categórica: “É importante a leitura individual, mas o compartilhamento da leitura é muito mais importante. Durante essa troca, um saberá do outro, serão também compartilhadas experiências. Vai ser bacana a gente poder viver tudo isso, trazer para o dia a dia, crescer como ser humano, agregar valor a nossa cidadania”. Assino embaixo.

Biblioteca do Sesc Nova Friburgo

O espaço, retomado há pouco mais de seis meses, trabalha com toda a literatura universal, mas prioriza o autor brasileiro. Os livros são adquiridos pelo Sesc através de um programa, o “Atividades de Leitura e Literatura”, desenvolvido em nível regional pela instituição.

O interessado em fazer empréstimo de livros tem que se inscrever pessoalmente, com Heloisa Vianna, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h; e sábado e domingo, das 9h às 14h. Não esquecer de levar a identidade e um comprovante de residência.

Está em vista a informatização da biblioteca, para agilizar o sistema de consultas e empréstimos, bem como facilitar a acessibilidade do usuário. Outra proposta em estudo é a implantação do “Espaço do autor local”. Os escritores nascidos ou domiciliados em Nova Friburgo podem se informar sobre isso com Heloisa nos dias e horários acima ou pelos telefones 2533-3993 e 2533-2849.

Vale informar que a biblioteca do Sesc se encontra aberta para lançamento de livros e realização de palestras, entre outras atividades. É só também procurar a Heloisa.

O SESC Nova Friburgo fica na Av. Presidente Costa e Silva 231, Duas Pedras

Por: ForumSec21