30/04/2010 Noticia AnteriorPróxima Noticia

INEA vai implantar sistema pioneiro de gerenciamento de agrotóxicos

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão executivo da Secretaria do Ambiente, vai implantar, a partir do segundo semestre, um sistema de gerenciamento de agrotóxicos. A iniciativa, pioneira no país, foi anunciada nesta terça-feira (27/4) na abertura do V Encontro de Fiscalização de Agrotóxicos das Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país, que ocorre no Rio até a próxima sexta-feira.

Por meio de um controle informatizado, o usuário poderá rastrear através do site do Inea a localização de estoques de agrotóxicos em todo o Estado. Também serão disponibilizadas informações como tipo e quantidade dos insumos, por onde passam e até dados sobre destinação de embalagens vazias. Isso permitirá o planejamento de ações preventivas contra acidentes, além de programas educativos.

– A educação tem papel importantíssimo no uso correto e responsável dos agrotóxicos. Por outro lado, também queremos investir em ações de fiscalização para evitar danos à saúde dos trabalhadores e consumidores e ao meio-ambiente – destacou Luiz Firmino Martins Pereira, presidente do Inea, que participou da abertura do evento.

O secretário estadual de Agricultura, Alberto Mofati, ressaltou a parceria entre as duas secretarias (SEAPPA e SEA) para o fortalecimento de uma agricultura sustentável.

Durante o encontro, coordenado pela Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria Estadual de Agricultura e pelo Inea, serão discutidas diretrizes para controle dos agrotóxicos e a harmonização de procedimentos de fiscalização entre os estados.

O fórum do Rio de Janeiro reúne representantes de 10 estados e do distrito federal e tem como foco o licenciamento ambiental de estabelecimentos de comercialização de agrotóxicos e a destinação de embalagens vazias de agrotóxicos no território fluminense. O resultado será levado na edição nacional do evento, em junho, no Maranhão, juntamente com as propostas apresentadas nas edições regionais já realizadas no Norte e Nordeste brasileiro.

Por: INEA