26/04/2010 Noticia AnteriorPrxima Noticia

Conferncia dos Povos prope criao de Movimento pela Me Terra

Aps trs dias de discusses e debates, a Conferncia Mundial dos Povos sobre Mudana Climtica e Direitos da Me Terra, na Bolvia, chegou, no dia 22 de abril, ao fim. No documento final, denominado Acordo dos Povos, os participantes acordaram em realizar, no prximo ano, a 2 Conferncia Mundial dos Povos sobre Mudana Climtica e os Direitos da Me Terra e construir um Movimento Mundial dos Povos pela Me Terra.

De acordo com o documento, a ideia da prxima Conferncia ser discutir os resultados da Conferncia de Mudana Climtica, que ocorrer em Cancn, no Mxico, no final deste ano, e ser parte do processo de construo do Movimento dos Povos pela Me Terra.

Alm disso, os participantes concordaram com a realizao de um Referendo Mundial sobre a Mudana Climtica, no qual as pessoas de todo o mundo sero consultadas sobre: nvel de redues de emisses que os pases desenvolvidos e as empresas transnacionais devem fazer; financiamento que devem prover os pases desenvolvidos; criao do Tribunal Internacional de Justia Climtica; necessidade de mudar o sistema capitalista; e necessidade de uma Declarao Universal de Direitos da Me Terra.

Segundo o Acordo dos Povos, o sistema capitalista tem transformado a natureza em mercadoria. "Sob o capitalismo, a Me Terra se converte em somente fonte de matrias primas e os seres humanos em meios de produo e consumidores, em pessoas que valem pelo que tm, e no pelo que so", afirma, ressaltando que o equilbrio com natureza s alcanado quando "h igualdade entre os seres humanos".

Por conta disso, os participantes da Conferncia propem um novo modelo de desenvolvimento, no qual as pessoas vivam em harmonia com o meio ambiente e respeitem os direitos da Me Terra. "Os pases necessitam produzir bens e servios para satisfazer as necessidades fundamentais de sua populao, mas de maneira nenhuma podem continuar por este caminho de desenvolvimento no qual os pases mais ricos tm um rastro ecolgico cinco vezes maior do que o planeta capaz de suportar", comentam.

O Acordo demanda ainda que a prxima Conferncia sobre Mudana Climtica aprove a emenda ao Protocolo de Kioto para que os pases desenvolvidos se comprometam com as redues de gases de efeito estufa de pelo menos 50% em relao ao ano base de 1990. Os participantes tambm aproveitam para repudiar o resultado da 15 Conferncia das Naes Unidas sobre Mudana do Clima (COP 15), ocorrida em dezembro de 2009, em Copenhague.

"Rechaamos de maneira absoluta o ilegtimo Entendimento de Copenhague que permite a estes pases desenvolvidos ofertar redues insuficientes de gases de efeito estufa baseadas em compromissos voluntrios e individuais que violam a integridade ambiental da Me Terra, conduzindo-nos a um aumento ao redor de 4C", comentam.

O Acordo dos Povos completo est disponvel em: http://cmpcc.org/

Karol Assuno

Conferncia dos Povos reunir mais de 18 mil participantes em Cochabamba

s vsperas do incio da Conferncia Mundial dos Povos sobre a Mudana Climtica e os Direitos da Me Terra, na Bolvia, o nmero de inscritos continua a crescer. De acordo com informaes do chanceler boliviano David Choquehuanca, at ontem (18), foram registradas 18 mil inscries advindas de 129 pases e as expectativas so que o nmero chegue a 20 mil pessoas, at o incio do evento.

O grande nmero de inscritos obrigou a organizao da Conferncia a modificar mais uma vez o local onde ser realizado o ato de abertura. Sendo assim, amanh, a partir das 8h30, os interessados em ceder ao planeta Terra um futuro melhor devero estar reunidos no estdio do municpio de Tiquipaya e no mais no Coliseo Univalle, local divulgado na programao oficial. A mudana foi implementada pelo presidente boliviano Evo Morales como forma de democratizar o evento inicial e agregar a ele a maior quantidade de pessoas interessadas.

O evento de abertura da Conferncia dos Povos contar com a participao do secretrio geral da Organizao de Naes Unidas (ONU), de diretores de organismos internacionais como Fundo das Naes Unidas para a Infncia (Unicef), Organizao das Naes Unidas para a Agricultura e a Alimentao (FAO), Comunidade Andina, entre outros.

Aps o ato inaugural, as organizaes sociais, representantes governamentais, especialistas e demais participantes inscritos devero se encaminhar para um dos 17 grupos de trabalho previstos na programao, que j tiveram incio nesta segunda-feira (19). A pedido de organizaes ambientais est sendo prevista a fixao do grupo de trabalho 18, com temtica local, que tratar dos conflitos ambientais partindo de uma perspectiva boliviana.

As discusses realizadas em todos os grupos de trabalho sero a base para um documento que ser construdo a vrias mos, ao final da Conferncia Mundial. O documento ser levado para a 16 Conferncia das Partes da Conveno Marco das Naes Unidas sobre Mudana Climtica (COP16), que acontecer em Cancn, no Mxico, entre 29 de novembro e 10 de dezembro deste ano.

Alm dos grupos de trabalhos, a Conferncia tambm ter espao para que os pases e organizaes participantes exponham seus produtos e suas culturas. Para isso, esto sendo disponibilizados cerca de 100 estandes. Tambm sero realizados pelos participantes, durante os quatro dias, 166 eventos autogestionados.

Os mais de 18 mil inscritos esto vindo de 32 pases da frica, de 33 naes da Europa, de 21 pases da sia, de 18 pases da Amrica Central, das 12 repblicas da Amrica do Sul, de 10 pases da Oceania e de trs pases da Amrica do Norte.

Entre os participantes da Conferncia Mundial esto representantes de governos de quase 50 pases, no entanto, at o momento, a participao de presidentes est restrita aos chefes de estado da Nicargua, do Paraguai e do Equador. Espera-se que at 15 presidentes estejam presentes na Bolvia para participar da Conferncia.

Para mais informaes sobre a Conferncia dos Povos, acesse http://cmpcc.org/

Natasha Pitts

Por: Adital