12/02/2010 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Desertificação ameaça 38% do globo

Mais de um terço da superfície da Terra, 38%, está ameaçada pela desertificação, segundo um novo estudo publicado no International Journal of Life Cycle Assessment. A pesquisa revelou que oito das quinze eco-regiões estão ameaçadas pela desertificação, incluindo áreas costeiras, pradarias, regiões mediterrâneas, savana, estepes temperadas, desertos temperados, estepes tropicais e subtropicais, e desertos tropicais e subtropicais.

“O maior risco de desertificação (7,6 de 10 em uma escala gerada utilizando diversos indicadores de desertificação) está nas regiões de desertos subtropicais, como norte da África, países do Oriente Médio, Austrália, sudoeste chinês e na borda oeste da América do Sul”, disse o principal autor do estudo e pesquisador do Instituto de Pesquisas Agro Alimentares e Tecnologia Montserrat Núñez. Muitas destas regiões já passaram por bolsões de desertificação.

O restante das áreas teve uma nota menor, mas ainda está em risco. O Mediterrâneo e as estepes tropicais e subtropicais ficaram com 6,3 de 10, enquanto as áreas costeiras e pradarias com 4 de 10.

“O uso insustentável da terra pode levar a degradação do solo. Se isto ocorrer em regiões áridas, semi-áridas e secas sub-úmidas, como a Espanha, esta degradação é conhecida como desertificação, e os efeitos podem ser irreversíveis, pois levam as áreas a se tornarem totalmente improdutivas, explicou Núñez. O uso indevido da terra inclui excesso de pastagem e de cultivo e o desmatamento. Os cientistas estão ainda mais preocupados que as mudanças climáticas estejam exacerbando a desertificação ao redor do mundo.

Os pesquisadores empregaram uma Análise de Ciclo de Vida, que considera todos os impactos ambientais de uma determinada atividade, como mineração ou desmatamento. Eles focaram em quatro dos principais sinais de sensibilidade à desertificação: aridez, erosão, super-exploração de aqüíferos e risco de incêndio.

“Isto torna possível avaliar satisfatoriamente o impacto da desertificação de uma determinada atividade humana, e comparar o impacto da mesma atividade em um local diferente, ou o impacto de diversas atividades desenvolvidos em um mesmo local”, explicou Núñez.

Citação: Núñez, Montserrat; Civit, Bárbara; Muñoz, Pere; Arena, Alejandro Pablo; Rieradevall, Joan; Anton, Assumpció. "Assessing potential desertification environmental impact in life cycle assessment" International Journal of Life Cycle Assessment 15(1): 67-78, janeiro de 2010.

Jeremy Hance

Traduzido por Fernanda B. Muller, CarbonoBrasil

Por: Mongabay