26/11/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Atividades sensibilizam homens sobre violência contra a mulher

Pela ação ou pela omissão, os homens são os principais atores da violência contra a mulher. É essa concepção que move os realizadores da Campanha Brasileira do Laço Branco, que, em vários Estados do país, realizam atividades de sensibilização dos homens sobre esse tipo de crime. As ações ocorrem de hoje (25), Dia Internacional de Erradicação da Violência contra a Mulher, até 6 de dezembro, data do Massacre de Montreal. Amanhã (26), um ato no centro do Recife, capital de Pernambuco, Nordeste brasileiro, previne sobre a violência contra a mulher.

O Mercado São José, no Centro do Recife, receberá amanhã, a partir das 8h, informação e sensibilização sobre a violência contra a mulher, através do trabalho de cerca de 60 jovens e educadores/as sociais. Eles vão distribuir material educativo e uma fitinha branca de pulso, símbolo da campanha, aos comerciantes e transeuntes, principalmente homens e jovens do sexo masculino.

Geralmente, "as mulheres são vítimas de homens muito próximos do convívio diário delas. Outros homens não se posicionam e acabam sendo cúmplices. O que nós queremos é instigar os homens, para que eles nem cometam, nem se calem diante da violência", explicou Ricardo Castro, coordenador do Instituto Papai, uma das instituições organizadoras da campanha em Pernambuco.

Os militantes também vão fornecer informações sobre a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06). Aprovada em 2006, a lei instituiu punições mais severas a crimes contra a mulher, cometidos no âmbito doméstico ou familiar.

"A violência contra a mulher ainda é muito forte no Brasil, mesmo com a aprovação da lei [Maria da Penha] e com a implementação de mais delegacias da mulher. Por isso é preciso investir em prevenção", considerou Ricardo Castro.

Só em 2009, 260 mulheres foram assassinadas em Pernambuco, segundo o Fórum de Mulheres do Estado. Até outubro, a Delegacia da Mulher já recebeu cerca de 7 mil denúncias de violência contra a mulher.

Realizam a atividade de Pernambuco o Instituto PAPAI, o Grupo de Pesquisa em Gênero e Masculinidades da Universidade Federal de Pernambuco (Gema/UFPE) e a Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG). Parceria com o Grupo Curumim, o BEMFAM (Bem-Estar Familiar no Brasil) e o grupo teatral Loucas de Pedra Lilás.

A campanha no Brasil

A Campanha mundial do Laço Branco entrou em vigor no Brasil em 2007, quando foi aprovada como Lei 11.489. A medida instituiu 6 de dezembro como o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo fim da Violência contra as Mulheres.

De acordo com o Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa), anualmente cerca de 300 mil mulheres sofrem violência por parte dos maridos ou companheiros em todo Brasil. No mundo, quase metade das mulheres assassinadas são vítimas do ex ou atual marido ou namorado, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Marco histórico

A data de hoje (25) foi instituída pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM) como o Dia Internacional de Erradicação da Violência contra a Mulher. O dia marca o início da campanha de não violência contra a mulher. As atividades se encerram em 6 de dezembro, dia do Massacre de Montreal, assassinato de 14 estudantes mulheres da Escola Politécnica, no Canadá.

O crime foi cometido por um jovem de 25 anos que, em carta, afirmou não admitir a ideia de verem mulheres fazendo seu mesmo curso de Engenharia, historicamente destinado a homens. O estudante invadiu uma sala de aula, exigiu a saída dos homens, atirou a queima roupa nas mulheres e se matou em seguida.

Veja o Vídeo da Campanha em: http://www.youtube.com/user/institutopapai#p/u/30/clFseVAFqb8

Robson Braga

Por: Adital