02/10/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Produção de soja cresceu 88,8% em dez anos, revela IBGE

Rio de Janeiro - A cultura da soja foi a que mais se expandiu no país na última década. Com um aumento de 88,8% na produção, foram produzidos, em 2006, 40,7 milhões de toneladas, em 15,6 milhões de hectares. A área colhida também teve aumento de 69,3%. Ao todo, a produção de soja gerou R$ 17,1 bilhões para a economia brasileira.

O grão foi cultivado em quase 216 mil propriedades, localizadas principalmente no Centro-Oeste. Esse cenário confirma o avanço da fronteira agrícola sobre a região, impulsionado pelo deslocamento de produtores rurais vindos, na maioria, do Sul, em busca de terras com preços mais acessíveis.

Com isso, o estado de Mato Grosso se tornou o maior produtor nacional de soja (10,7 milhões de toneladas), o que representou 26,2% da produção nacional no ano de 2006.

Os dados foram apresentados hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte do Censo Agropecuário 2006. O estudo traça uma radiografia do setor, analisando características dos 5,2 milhões de propriedades rurais do país e ainda dados dos produtores.

Os resultados do levantamento permitem uma comparação com o último censo do tipo, referente aos anos de 1995 e 1996. Entre as informações estão dados sobre a estrutura fundiária, a produção, as técnicas utilizadas, o pessoal ocupado e as finanças desses estabelecimentos.

O levantamento também revela que a produção da soja transgênica vem ganhando espaço no Brasil como forma de reduzir os custos. Em 2006, quase metade (46,4%) das propriedades agropecuárias cultivou esse produto, que ocupou uma área de 4 milhões de hectares. O uso de semente certificada (por 44,6% dos estabelecimentos), de agrotóxicos (por 95,1%) e de adubação química (por 90,1%) e a adoção de colheita mecanizada (por 96,8%) também foram destacados pelos técnicos do IBGE.

Outras culturas ressaltadas no documento são a do arroz, cuja produtividade teve crescimento de 44,6%, compensando a redução da área colhida, que foi de 18,8%, e a do feijão, com expansão de 50,9%, cuja área teve crescimento de apenas 6,3%. Nessas duas culturas, a colheita foi feita principalmente de forma manual.

Em relação à pecuária, o censo destaca que ela foi a principal atividade econômica das propriedades rurais no país, representando 44% do total e ocupando 62% da área de todas as unidades agropecuárias. O valor da produção dessa atividade correspondeu a 21,2% de toda a agropecuária.

De acordo com o estudo do IBGE, os dados refletiram “as mudanças ocorridas no setor a partir do fim da década de 1990, com a reestruturação da cadeia produtiva de carnes, a adoção de tecnologias e uma maior profissionalização”. Esse cenário ajudou o Brasil a conquistar a liderança no mercado internacional de carnes de frango e bovina e o posto de quarto maior exportador mundial de carne suína em 2006.

Thais Leitão

Por: Agência Brasil