02/10/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Frigoríficos prometem adoção de medidas para evitar o desmatamento da Amazônia

A Marfrig, a Bertin e o JBStrês, três grandes abatedouros e processadores de carne e couro do país, devem anunciar na segunda-feira (5) critérios socioambientais adotados para impedir que a floresta amazônica continue a ser vítima da expansão da pecuária.

Segundo o governo federal, a pecuária ocupa hoje 80% das áreas desmatadas na Amazônia.As empresas devem reafirmar publicamente seu compromisso de não mais aceitar fornecedores envolvidos em novos desmatamentos e adotaram um programa de seis pontos. Ele inclui prazos para cadastro das fazendas fornecedoras diretas e indiretas e o monitoramento rigoroso do desmatamento ao longo da cadeia produtiva. A iniciativa está aberta para adesão de outras empresas do setor.

“A adoção de medidas conjuntas demonstra a seriedade dos compromissos assumidos pelos grandes frigoríficos e ajuda a evitar a duplicação de esforços, agilizando a implementação de critérios que levem ao fim do desmatamento na produção pecuária brasileira”, afirmou o diretor da campanha Amazônia do Greenpeace, Paulo Adário. A ONG é responsável pela organização do evento no qual será feito o anúncio na segunda-feira.

O desmatamento é a principal fonte brasileira de emissão de gases do efeito estufa, que causam o aquecimento global. O volume é tão grande que o Brasil está entre as nações que mais contribuem hoje com as mudanças do clima.

Por: CarbonoBrasil/Greenpeace