29/04/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Diesel com menos enxofre faz cair emissão de fumaça de ônibus urbanos no Rio

Rio de Janeiro - A troca do diesel S-500 pelo diesel S-50, com menor teor de enxofre, já traz benefícios à qualidade do ar na cidade do Rio, desde que foi implementada no início do ano.

A afirmação é do diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que concedeu entrevista coletiva hoje (27), na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), Região Metropolitana do Rio, a primeira do país a produzir o S-50.

Segundo Costa, por meio de testes, foi verificada redução de 15% nos níveis de emissão de fumaça dos ônibus da capital fluminense, comparativamente a 2008, quando ainda era utilizado o diesel S-500, com maior teor de enxofre. A Petrobras também distribui o diesel com menos enxofre para ônibus da cidade de São Paulo.

O diesel S-50 tem 50 partes por milhão (ppm) de enxofre, o que corresponde a uma concentração de 0,005% desse componente no diesel. O diesel anterior tinha 500 ppm de enxofre, correspondendo a uma concentração de 0,05%.

Embora somente tenha iniciado a produção no Brasil agora no início do mês, desde janeiro deste ano a estatal já vem fornecendo o produto com menor teor de enxofre para a frota cativa de ônibus do município, só que, para isto, a empresa vinha importando o S-50. O produto nacional vem sendo comercializado pelo mesmo preço do importado.

Inicialmente, o diesel S-50, importado e fornecido pela Petrobras no Rio de Janeiro, era transportado pela rede de dutos até a Reduc, de onde era bombeado para as bases das companhias distribuidoras.

Já o produto nacional é processado em uma unidade de hidrotratamento da Reduc, que extrai o enxofre a partir de reações químicas envolvendo, principalmente, o hidrogênio. São disponibilizados mensalmente cerca de 14 mil metros cúbicos de diesel S-50 para o município do Rio de Janeiro.

Segundo a Petrobras, os testes que comprovaram os benefícios para a atmosfera foram realizados pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do RJ (Fetranspor), por meio de monitoramento em 47 empresas do município, num total de 8.500 ônibus.

Os resultados indicam tendência de redução das emissões de material particulado para o meio ambiente. “Os testes da Fetranspor têm caráter preliminar, mas são coerentes com os realizados em laboratório pelo Centro de Pesquisas da Petrobras [Cenpes]”, informou a empresa.

De acordo com a Petrobras, os testes da empresa indicaram redução de 11,3% nas emissões de material particulado com a substituição do diesel S-500 pelo S-50 em veículos.

“As emissões de fumaça foram medidas com um opacímetro montado na descarga dos ônibus. Este aparelho mede somente a fração visível dos gases de escapamento. Os veículos de testes operaram sem carga, em aceleração livre. É o mesmo método usado nas inspeções do Departamento Estadual de Trânsito [Detran]. O resultado dos testes da Fetranspor está sendo estratificado agora por geração tecnológica, ano e modelo dos veículos”, esclareceu a companhia.

O fornecimento do diesel menos poluente para as frotas do Rio e de São Paulo foi definido em acordo com o Ministério Público Federal (MPF) no dia 30 de outubro de 2008.

Pelo cronograma acertado com o MPF, ficou definido que a partir de maio o diesel S-50 estará disponível também para toda a frota de veículos metropolitanos de Fortaleza (CE), Recife (PE) e Belém (PA).

Em agosto, será a vez de Curitiba (PR) ter o combustível na sua frota de ônibus e, em janeiro de 2010, o combustível será disponibilizado para as frotas cativas de ônibus urbanos de Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA) e será estendido para toda a Região Metropolitana da Cidade de São Paulo.

Em janeiro de 2011, o combustível será fornecido também às frotas das outras três Regiões Metropolitanas do Estado de São Paulo (Baixada Santista, Campinas e São José dos Campos) e também para a Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro.

Com o objetivo de ter plena capacidade produtiva do diesel e, assim, atender ao mercado brasileiro, sem depender de importação, a Petrobras estará investindo US$ 4 bilhões até 2012. A empresa deverá investir ainda mais US$ 2 bilhões para o fornecimento, a partir de 2013, do diesel S-10, com 10 ppm de enxofre.

Em 1986, com o objetivo de controlar a qualidade do ar, principalmente, nas grandes cidades, o governo federal instituiu o Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), um cronograma de redução gradual das emissões de poluentes para veículos leves e pesados.

Nielmar de Oliveira

Por: Agência Brasil