14/04/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Estados brasileiros realizam mobilizações em prol de crianças em situação de rua

Lançada em dezembro de 2005 no Senado Federal, a Campanha "Criança não é de Rua" já percorreu quase todos os estados brasileiros. No último dia 08, dez estados realizaram manifestações simultâneas em prol das crianças e adolescentes que vivem situação de moradia de rua.

O ato teve como objetivo reivindicar ao Estado brasileiro um levantamento nacional que aponte oficialmente o número dos jovens que vivem nestas condições. A Campanha que já percorreu 23 estados visa também sensibilizar a sociedade brasileira e os dirigentes públicos para um olhar humanizado sobre a vida destes meninos e meninas que têm, muitas vezes, seus direitos violados.

Em Fortaleza (CE), crianças representando diversas organizações que trabalham com o tema da criança e adolescente, foram crucificadas simbolicamente para representar a dimensão do problema que afeta diariamente milhares de crianças em situação de rua, em todo o Brasil.

De acordo com o coordenador da campanha, Adriano Ribeiro, mobilizações como as que ocorreram ontem, acontecem anualmente e fazem parte das ações da Campanha "Criança não é de rua". Na opinião de Adriano este problema é de fácil solução.

Para a Organização das Nações Unidas (ONU), 5 milhões de crianças e adolescentes brasileiros vivem nas ruas. Mas, segundo Adriano, este número é um equívoco, pois a sociedade brasileira ignora a real situação, já que o Estado não tem dados oficiais sobre o assunto.

Explica que nem todos os jovens que ficam nas ruas durante o dia são moradores do espaço público. Muitos deles voltam para suas casas à noite. É necessário que haja um conceito nacional para que todos os estados possam trabalhar numa mesma política.

Adriano avalia como satisfatório o resultado das ações, já que tem o apoio e divulgação dos órgãos da imprensa. A participação e a sensibilização popular são ações que fortalecem o trabalho. "Só existe crianças nas ruas porque a sociedade aceita", diz Adriano, afirmando ser necessário provocar uma mudança na cultura brasileira.

Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Distrito Federal são as quatro cidades que ainda faltam receber a campanha. Depois que todas as capitais forem percorridas haverá um seminário nacional em Brasília. A estimativa é que isso ocorra no final deste ano. "Queremos juntar todas as experiências e listar diretrizes para que todas as cidades sigam a mesma política junto com o Governo Federal", informa o coordenador.

Por enquanto o apoio obtido do governo é apenas institucional, mas Adriano adianta que o Ministério do Desenvolvimento Social tem se mostrado simpático à campanha e tudo indica que, em breve, seja realizado um levantamento sobre a população infanto-juvenil moradoras das ruas.

O Comitê Nacional da Campanha "Criança não é de rua" está localizado em Fortaleza, no Ceará. Para mais informações, entrar em contato através do telefone (85) 3212-9477.

As matérias do projeto "Ações pela Vida" são produzidas com o apoio do Fundo Nacional de Solidariedade da CF 2008.

Por: Adital