11/02/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

ONG quer estimular consumidor europeu a consumir sem prejudicar a Amazônia

Brasília - A Holanda é um dos maiores importadores da soja brasileira. Para abastecer esse mercado, o Brasil precisa utilizar 25,3 milhões de hectares – uma área cuja dimensão supera a metade de todo o território holandês. Boa parte dessa soja, entretanto, tem a função de alimentar o gado do país.

Ao tomar consciência dessa realidade, a filial holandesa da organização não-governamental WWF encomendou, no Instituto Copérnico da Universidade de Utrecht, o estudo Mantendo a Floresta Amazônica em Pé: Uma Questão de Valores. A idéia é mostrar que a destruição da Região Amazônica pode ser contida se for dado um estímulo financeiro à manutenção dos serviços ecológicos prestados pela floresta. Para tanto, o estudo defende a conscientização do consumidor europeu.

“Nós queremos mudar o paradigma de que quem desmatou a Amazônia foram apenas os brasileiros. Diversos outros países também deram sua contribuição para o desmatamento chegar no ponto em que se encontra. O intuito desse estudo em especial é estimular o holandês a um consumo mais responsável, e mostrar que ele também tem uma parcela de culpa no processo de devastação da Amazônia”, explica o coordenador do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável da WWF Brasil, Mauro Armelin.

Pedro Peduzzi

Por: Agencia Brasil