18/01/2009 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Saiba mais sobre a Hérnia de Disco

Doença provocada pela degeneração e movimentação dos discos da coluna causa dor intensa e acomete cada vez mais pessoas

As algias da coluna estão entre as três causas mais freqüentes de consulta médica em países desenvolvidos. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia cerca de 80% da população ativa terá um episódio significativo de dor na coluna durante sua vida. Este quadro poderá levar a perda de horas e anos de trabalho com reflexo no PIB das nações.

Uma doença silenciosa que começa com pequenas dores, mas pode trazer muitos problemas para a qualidade de vida das pessoas. A hérnia de disco é causada pelo desgaste do tecido cartilaginoso cuja função é evitar o atrito das vértebras e amortecer o impacto.

Há mais de dez anos a professora Monica Togatlian começou a sofrer com dores na coluna. Em outubro do ano passado a situação se agravou e foi obrigada a se submeter a cirurgia de hérnia de disco.

- Senti muitas dores na perna e ao longo do tempo fazia fisioterapia e tomava medicamentos para tentar aliviar a dor. Com o passar do tempo, as dores pioraram e o tratamento que estava fazendo não estava mais surtindo efeito, diz a professora.

Segundo o Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral existem três tipos de hérnia de disco: a do tipo protrusa, a extrusa e a seqüestrada.

- A hérnia de disco é uma lesão que acontece quando o disco - que serve como amortecedor do corpo - sai de perto das vértebras. Ou seja, a saída do disco pode ocasionar uma compressão nervosa que faz o paciente perder força, movimento e tenha quadro de dor muito intensa, afirma o fisioterapeuta Dr. Carlos Melo.

O trabalho físico pesado, ficar sentado por horas, inclinar e girar o tronco freqüentemente de forma inadequada, trabalho repetitivo e a obesidade sãofatores que podem ocasionar o desgaste do disco que separa as vértebras (discopatia), facilitando sua movimentação para fora do espaço vertebral.

- Segundo a literatura, os obesos têm muito mais tendência a desenvolver a hérnia de disco do que uma pessoa com peso norma. Na prática tenho encontrado pessoas magrascom discopatia. O excesso de peso faz com que o paciente faça menos exercício e esteja menos disposto, mas acredito que o risco maior seja as doenças coronarianas e os problemas da coluna com exercícios inadequados, posturas viciosas e exercícios repetitivos (over use), observa o fisioterapeuta.

A importância da fisioterapia

Apesar da evolução da medicina ainda não foi descoberta a cura para a degeneração dos discos da coluna, principal causa da hérnia de disco. Existem vários tratamentos para tentar restabelecer a qualidade de vida do paciente.

Repouso, bloqueio anestésico, uso de analgésicos e antiinflamatórios, métodos fisioterápicos e reeducação postural através de exercícios corporais são alguns dastécnicas adotadas pelos profissionais de saúde.

O tratamento fisioterápico tem como principal objetivo aliviar a dor e devolver os movimentos aos pacientes. Existem várias técnicas de fisioterapia no mercado. O RPG, GDS Mulligan, Maitalnd, Isostretching Cyriax e Bio Stamp são as mais conhecidas.

- Todas os tratamentos têm a finalidade de corrigir a postura do paciente e tentar retirar o estado de dor , mas cada uma tem sua indicação. Segundo o Dr. Maitland, não existe técnica ou grupo de técnica invariável, afirmações como “você não deve nunca fazer dessa maneira” ou “não deve nunca fazer isso” não tem lugar em nossa maneira de pensar ou ensinar.O profissionalnão podeser dogmático e precisa lembrar que o melhortratamento não pode serfeito sem um exame e técnicas. No entanto, as técnicas são a parte menos importante e a avaliação analítica continuada sendo fator principal, conclui o fisioterapeuta.

Tratamento visa alivia a dor

O professor Jorge Maroun também conheceu de perto as dores causadas pela hérnia de disco.

-Sentia dores, mas demorei a me tratar de forma adequada. O incomodo eram tantas que em três dias consegui dormir apenas três horas, afirma.

Jorge conseguiu se recuperar sem a cirurgia, após intenso acompanhamento médico e de fisioterapia.

- Precisei fazer uma infiltração e realizar fisioterapia quatro dias por semana para sair da crise, conclui.

Rafael Seabra - do Núcleo de Mídia Impressa da Universidade Estácio de Sá

Por: ForumSec21