07/10/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Campanha para fortalecer turismo interno

A Secretaria Nacional de Políticas de Turismo (SNPTur), junto ao Departamento de Marketing e Promoção Nacional (DPMN), acaba de formatar conceito, slogan e estratégia de marketing da campanha que vai promover e incentivar a comercialização dos destinos turísticos do Brasil para os brasileiros. O lançamento das peças publicitárias será na abertura do 36º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens, ABAV 2008 – Feira das Américas, no próximo dia 22, no Rio de Janeiro.

O slogan Viagem é pra toda vida, viaje por todo o Brasil agora aparece agregado à frase “Se você é brasileiro, está na hora de conhecer o Brasil”, que além de estimular o hábito de viagem, vai trabalhar pontualmente na captação dos brasileiros interessados em viajar na temporada turística do verão 2008/2009. O secretário Nacional de Políticas de Turismo, Airton Pereira, explica que “a campanha provoca o turista brasileiro. A proposta é: viaje e conheça o Brasil, porque ele é, de fato, sensacional”.

Duas agências executam a campanha: Agnelo Pacheco e 141 Brasil. De acordo com Márcio Nascimento, diretor do DPMN, o foco do trabalho contempla o caráter diverso e multifacetado da cultura brasileira. “O Brasil tem belezas naturais, gastronomia espetacular, além de temas e imagens fantásticos. Essa é uma campanha que nos dá suporte para incrementar o fluxo de turismo doméstico, que é uma das grandes metas do Plano Nacional de Turismo 2007-2010”, ressalta Nascimento.

As peças serão veiculadas em mídias impressa, exterior e online, além de inserções na televisão, rádio e cinema. O investimento inicial será de R$ 9 milhões.

MERCADO AQUECIDO - Divulgar o Brasil para os brasileiros, afirma o secretário Airton Pereira, é parte de um propósito-chave: estimular a criação de uma “cultura da viagem” no imaginário do brasileiro, o que tem como conseqüência direta o fortalecimento do mercado interno e a geração de trabalho e renda.

Todo esforço concentrado de planejamento das ações do Ministério visa à inclusão da viagem como produto da cesta básica de consumo do brasileiro, segundo enfatiza Pereira. “Considerando pessoas de uma mesma faixa de renda, o cidadão chileno viaja três vezes mais do que o brasileiro – sendo que o Brasil é um país continental, em território e em potencial para o turismo. Somado a isso, estamos passando por um momento único, com destaque para fatores econômicos decisivos ao setor turístico. Um deles é o aumento do poder aquisitivo da população, o que resultou em mobilidade social, estabelecida com a migração das classes D e E para a classe C. Isso significa um aumento na qualidade de vida e, por conseqüência, um aumento do consumo. Ou seja, mais brasileiros, agora, podem consumir turismo”, analisa o secretário.

Por: Ass. de Comunicação do Ministério do Turismo - ASCOM