06/10/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Estado lança programa para plantar 20 milhões de árvores até 2010

Vinte milhões de árvores plantadas até 2010. Esta é a meta do Governo do Estado do Rio inserida no projeto Contador de Árvores da Mata Atlântica, que foi lançado em 19/09, pela Secretaria do Ambiente. A solenidade acontecerá na sede do Jardim Botânico, às 15h30. O Contador de Árvores da Mata Atlântica tem como objetivo incentivar, fortalecer e monitorar o plantio de árvores no Rio. Mostrará, por exemplo, quais espécies a sociedade, em parcerias variadas, será capaz de plantar para a recuperação da Mata Atlântica.

O projeto será uma escultura viva, confeccionada com espécies da Mata Atlântica, e ficará instalada no Jardim Botânico. Ao seu lado, haverá uma placa informativa com os endereços eletrônicos da Secretaria do Ambiente (www.ambiente.rj.gov.br) e do Jardim Botânico (www.jbrj.gov.br), onde a população poderá acompanhar quantas e quais espécies de árvores já foram plantadas. Excepcionalmente nesta sexta-feira, o acesso será disponibilizado apenas no Jardim Botânico.

O Contador de Árvores foi elaborado pelo designer Roberto Lacerda, e a execução é de Bruno Resende. Durante a cerimônia de lançamento, haverá exposição do trabalho de produção e plantio de mudas nativas da Mata Atlântica produzidas por alunos do Ciep 362 - Burle Max, de Guaratiba. Esses alunos irão doar mudas para a Escola Técnica Oscar Tenório, que fica em Marechal Hermes.

Segundo a secretária do Ambiente, Marilene Ramos, o plantio das mudas é fundamental para a redução da emissão de gases-estufa e para restaurar a biodiversidade.

- Estamos convidando várias empresas a se engajarem nesta importante iniciativa para recuperar a Mata Atlântica. Hoje, contamos apenas com 7% de sua cobertura original. Alarmantes 93% foram destruídos ao longo dos diferentes ciclos econômicos brasileiros – Pau Brasil, cana-de-açúcar, café e pecuária - analisou a secretária.

Dentro de sua política de restauração e preservação da Mata Atlântica, a Secretaria Estadual do Ambiente, o Instituto Estadual de Florestas (IEF/RJ) e a Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (Serla) criaram o Programa de Parques Fluviais, destinado ao plantio de milhões de árvores nas margens de rios, como o Guandu. A partir de iniciativas como essa, surgiu a idéia de se contabilizar árvores plantadas pelo Governo do Estado, prefeituras e entidades da sociedade civil.

Pela extensão que ocupa do território brasileiro – em especial no Estado do Rio de Janeiro – e pela sua rica biodiversidade, a Mata Atlântica apresenta um conjunto de ecossistemas com processos ecológicos interligados e frágeis. As formações do bioma da Mata Atlântica são constituídas pelas florestas Ombrófila Densa, Ombrófila Mista (Mata de Araucária), Estacional Semidecidual e Estacional Decidual e os ecossistemas associados, como manguezais, restingas, brejos interioranos, campos de altitude e ilhas costeiras e oceânicas.

Apesar de toda a pressão que sofre a Mata Atlântica, os habitantes do estado ainda usufruem dos serviços ambientais prestados pela floresta: quase 100% da população do Rio de Janeiro usam a água nascida em suas florestas.

Por: IEF