01/10/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Especialistas discutem financiamento para gestão florestal

O objetivo é identificar oportunidades de ampliação dos recursos disponíveis para ações de proteção a florestas

Mais de 100 especialistas em florestas estão reunidos em Paramaribo, capital do Suriname, de 8 a 12 de setembro, para discutir mecanismos de financiamento para gestão florestal, e o WWF-Brasil participa do encontro, com apresentação sobre pagamento por serviços ambientais. A reunião é uma iniciativa do governo do Suriname, com apoio dos governos da Holanda e dos Estados Unidos, como parte das ações de preparação para o oitavo encontro do Fórum das Nações Unidas para Florestas (UNFF, sigla em inglês). O evento conta, ainda, com o apoio do WWF-Guianas.

O objetivo do Diálogo de Paramaribo, como está sendo chamado o encontro, é identificar oportunidades para ampliar significativamente o financiamento de ações de gestão florestal sustentável. Para isso, os participantes vão compartilhar experiências de mobilização e geração de recursos e identificar possíveis fontes de recursos públicos e privados que vêm surgindo no cenário internacional.

Neste contexto, o superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Cláudio Maretti, apresentou palestra sobre “Perspectivas brasileiras sobre a compensação de carbono para a proteção da Amazônia: um caso de pagamento por serviços ambientais”. O foco de sua apresentação foi a experiência do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) e a contribuição das áreas protegidas para a redução das emissões de gases de efeito estufa por conseqüência do desmatamento.

Outro destaque da apresentação foi a discussão sobre o Pacto pela Valorização da Floresta e pelo Fim do Desmatamento na Amazônia Brasileira, proposto por um grupo de organizações da sociedade civil brasileira, entre elas o WWF-Brasil. O pacto propõe o emprego combinado de instrumentos de comando e controle, como leis, fiscalização e punições, e instrumentos econômicos, como pagamento por serviços ambientais, para zerar o desmatamento na Amazônia. “Apesar do crescimento do mercado de carbono, os recursos ainda são insuficientes para financiar a proteção e a recuperação de florestas. É preciso valorizar os serviços ambientais, para evitar os prejuízos das mudanças climáticas”, afirma Maretti.

A sétima reunião do UNFF ocorreu em 2007 e teve como principal resultado o consenso da comunidade internacional de que a ampliação do financiamento de ações de desenvolvimento sustentável implica a criação de uma ampla gama de fundos provenientes de fontes nacionais e internacionais, tanto privadas quanto públicas. A reunião UNFF-8 acontecerá de 20 de abril a 1º de maio de 2009, em Nova York, e um dos pontos principais será o desenvolvimento de propostas específicas para o desenvolvimento de um mecanismo voluntário global de financiamento de ações de proteção florestal com enfoques diversos. “Há uma grande diversidade de florestas e de atores, produtos, serviços e problemas que afetam essas florestas. Para dar conta dessa complexidade, é indispensável adotar enfoques diversos de trabalho”, explica Maretti.

Sobre o UNFF

O Fórum das Nações Unidas para Florestas é um fórum intergovernamental, no âmbito da Organização das Nações Unidas, que tem como objetivo principal promover a gestão, conservação e o desenvolvimento sustentável de todos os tipos de florestas, além de fortalecer o compromisso político de seus países-membro com a conservação de florestas. O UNFF foi criado em outubro de 2000 pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas e é composto por todos os países-membro da ONU e suas agências especializadas.

Por: WWF Brasil