30/09/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Prefeitura inaugura teatro municipal Ariano Suassuna

A prefeitura inaugurou neste sábado, dia 27 de setembro, as reformas no Teatro Municipal. A inauguração começou às 20h e contou com a participação de políticos, do dramaturgo e poeta Ariano Suassuna – que dá nome ao teatro – e do público em geral.

As dependências do teatro - que tem 564 poltronas, sendo quarenta cadeiras para obesos e doze cadeiras móvel -ficaram lotadas antes mesmo do início da solenidade. Ariano Suassuna foi bastante aplaudido ao subir ao palco para inaugurar o teatro.

O dramaturgo não escondeu a emoção e agradeceu as homenagens. “Fico muito grato ao povo de Nova Friburgo por esse carinho. Apesar de ter nascido na Paraíba sou cidadão do estado do Rio de Janeiro e me sinto muito honrado por fazer parte da história de Friburgo”, afirma.

A prefeita Saudade Braga disse que o teatro é um meio de realizar inclusão social. “O teatro passa a simbolizar um novo marco para a construção da cidadania. Esse local é mais um espaço para desenvolvermos a inclusão social.”

O Teatro recebeu uma nova configuração com a reconstrução que mexeu inclusive com a estrutura do prédio. Além disso, foram realizados serviços de alvenaria e divisórias, instalações elétricas, hidráulicas, revestimento de pisos e paredes, esquadrias, coberturas e pintura, construção de subestação de energia e de um estacionamento.

- A inauguração encerra um período de muito trabalho para montar a estrutura desse teatro. Esse foi um dos governos que mais investiu na cultura no nosso município, afirmou a Secretária de Cultura, Eliane Jordi.

Espetáculo Olhares Cruzados

Os alunos do Ponto de Cultura de Olaria e da Oficina Escola de Arte apresentaram para o público presente à inauguração do Teatro Municipal o espetáculo “Olhares Cruzados”. Os estudantes mostraram muita originalidade e precisão nas cenas.

O espetáculo apresentou as diferentes formas de pensamentos manifestadas na cultura, raça, religião e música. A peça tem a direção geral de Maria Vidal e as coreografias são coordenadas por Adriana Xavier, Maria Vidal e Vanessa Tozetto. A direção de atores está a cargo de Gabriel Naegele e Nobel Medeiros. A produção é de Ronny Salustiano e a caracterização fica por conta de Gabriel Naegele, Maria Vidal, Thais Alves e Zepp. A direção musical é de Paulo Newton e a iluminação feita por Gabriel Naegele, Maria Vidal e Nobel Medeiros. A programação visual contou com a colaboração de Jaqueline Eller, e a assistência de direção ficou a cargo de Gabriel Naegele. A concepção do espetáculo é de Gabriel Naegele e Maria Vidal.

Por: Rafael Seabra

A Prefeitura de Nova Friburgo inaugurou na noite do último sábado, dia 27 de setembro, o grande Teatro Municipal Ariano Suassuna, localizado na Praça das Colônias, no Suspiro. O encontro, aberto ao público, foi marcado pela presença do grande dramaturgo, romancista, poeta e também defensor da cultura brasileira; além de palco para grande emoção e ansiedade dos que se apresentavam.

Os alunos de todas as oficinas do “Ponto de Cultura Olaria” com os da Oficina “Escola de Artes de Nova Friburgo” apresentaram o espetáculo “Olhares Cruzados”, com um total aproximado de 150 participantes. A música da apresentação teatral foi produzida pelos alunos de canto coral e até as roupas criadas pela Oficina de Artes Plásticas.

A peça trata da diversidade cultural brasileira. Segundo Adriana Xavier, diretora da Oficina Escola de Artes, "o nome surgiu devido justamente ao entrelaçamento de várias manifestações culturais, como a dança, a música e a religião".

O Município agora possui um local próprio para atividades culturais e sociais, para disponibilizar ao uso de sua população. A secretária de cultura Eliane Jordi enfatiza: "A criação deste espaço coloca Nova Friburgo como referência nacional e internacional. Nossa cidade tem muita arte e muitos artistas (...) esse teatro vai ampliar uma vocação da cidade!".

O teatro dispõe de 564 poltronas, sendo 40 cadeiras para obesos e 12 cadeiras móveis para os companheiros dos cadeirantes, em conformidade com teatros dos grandes centros e adequado às novas leis, que obrigam que se ofereça espaço aos cadeirantes e obesos.

É um investimento cultural de grande porte, que possibilitará não só a democratização da cutura, mas a valorização dos artistas.

Por: Estácio de Sá / PMNF