13/09/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Teatro e Educação: O TACA conta a história de Friburgo

Jeany Amorim

Dirigido, desde 1997, pela educadora Jane Ayrão, o TACA, Teatro Amador do Colégio Anchieta, tem realizado, nos últimos anos, um belíssimo trabalho de resgate da história de Nova Friburgo, conjugando teatro e educação na nobre tarefa de sensiblizar para a memória cultural de nosso município.

Na última sexta-feira (29/08), o TACA – Teatro Amador do Colégio Anchieta – apresentou a montagem cênica “O Homem da Calça Cáqui” (baseado na vida de Ariosto Bento de Mello, com texto em trovas de Dilva Moraes e direção de Jane Ayrão).

Ver o teatro centenário lotado por uma platéia de todas as idades, a belíssima atuação dos jovens atores, e a nossa história sendo contada, nos faz refletir sobre o teatro como arte milenar – e imprescindível ! –como meio para a formação do cidadão, e na importante contribuição do mais antigo colégio de Nova Friburgo para a história do teatro.

No Brasil, o teatro tem sua origem com as representações de catequização dos índios. As peças eram escritas com intenções didáticas, procurando sempre encontrar meios de traduzir a crença cristã para a cultura indígena. Uma origem do teatro no Brasil se deveu à Companhia de Jesus – padres jesuítas.

Desde a época da fundação do Colégio Anchieta em 12 de abril de 1886, a arte de interpretar ganhou voz, vez e espaço. Em 1905, já se encontrava em fase de conclusão a ala que se destinava ao Teatro.

Com o término do Seminário, findou-se aos poucos as montagens cênicas e, durante muito tempo o teatro ficou a espera de novas apresentações.

“Formar apaixonados pela arte... e pela vida”

Em 1974, por iniciativa de Jesuítas, professores e alunos, o TACA deu seus primeiros passos. O primeiro diretor foi Arnaldo Miranda, em seguida, David Massena. Hoje, o TACA é composto por 8 grupos – entre Ensino Fundamental, Médio e Professores e , apesar de já ter encaminhado jovens atores para grandes teatros e televisão, seumaior orgulho é “formar apaixonados pela arte”.

Desde 1997, o TACA está sob acoordenação e direção da educadora Jane Ayrão, que vem desenvolvendo o projeto “Resgate de Memórias” – montagens cênicas baseadasempersonalidades ilustres que, de alguma forma, marcaram o desenvolvimento de Nova Friburgo nas áreas sociais, culturais ou humanitárias. O mais interessante é que todos os integrantes do grupo participam do processo: da pesquisa e criação do texto ao cenário. Certamente, esta é uma maneira reveladora para crianças e jovens conhecerem a história de sua cidade evalorizá-la.

Com o encantamento e entusiasmo de sempre, Jane fala sobre o envolvimento da comunidade com o projeto:

- “Quando lançamos o nome da personalidade a ser trabalhada no projeto, imediatamente somos procurados pelos familiares, amigos, e gente quetem história pra contar. Procuramos mostrar, antes de tudo, o ser humano, com suas fragilidades, seus sonhos, amores e luta. Mais do que falar do que foi feito em nossa história, é preciso conhecer quem fez. Não precisamos ir muito longe pra encontrarmos atos heróicos. Eles estão aqui mesmo, na nossa história, no nosso dia a dia. Nossos meninos precisam de exemplo, não apenas de palavras.”

“Casar a arte ea cultura friburguense”

Com o princípio filosófico da Companhia de Jesus em “Formar homens para os demais”, Jane sempre fez questão de que o TACA participasse ativamente da comunidade, desempenhando importante papel social, cultural e religioso, além de levar um pouco de nossa arte em apresentações nas cidades vizinhas e outros estados:

-“O TACA faz parte desta comunidade. Procuramos ser retrato do que há de melhor na sociedade e de tudo de bom que ainda podemos ser” – conclui Jane.

No primeiro semestre, o TACA levou a Santa Rita do Sapucaí-MG, a peça “Mulheres Reais na Corte Real” montagem sobre os 200 anos da vinda da Família Real Portuguesa – em parceria com o Grêmio Português - toda escrita em trovas pela trovadora friburguense Elisabeth Souza Cruz, e encenada pelos professores do colégio.

“Casar” a arte cênica com a história e cultura de Nova Friburgo, envolvendo crianças, jovens e adultos é o quetem feito a diferença na história do TACA. Certamente, é preciso mais do que talento para levar adiante um sonho que começou há quase 35 anos. Dedicação, amor a arte e a preocupação com a formação do SER é o que move a educadora Jane Ayrão que, de forma tão brilhante, consegue reunir presente, passado e futuro não só no palco, mas no espírito de cada menino que tem passado por lá.

Montagens cênicas do projeto “Resgate de Memórias”:

· 1 - “A saga de Mão de Luva” – herói lendário, amor de D.Maria I; escondeu seu tesouro na Pedra riscada, em Lumiar.

· 2 - “Dona Vitalina” – A história de dona Vitalina Neves, benfeitora da Banda Campesina Friburguense.

· 3 - “A Promessa” – vida de Samuel Antônio dos Santos, fundador da Banda Euterpe Friburguense e da Capela do Suspiro.

· “Galdino Vale uma história” – a vida de Dr. Galdino do Vale Filho, criador do Dia da Criança.

· “O Homem daCalça Cáqui” – baseado na vida de Ariosto Bento de Mello.

Por: ForumSec21