19/08/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Governo está próximo de consenso sobre destinação para lixo nuclear

Sabrina Craide e Luciana Lima

Repórteres da Agência Brasil

Brasília - O grupo criado pelo governo para debater os rumos da política nuclear para o Brasil está perto de chegar a um consenso sobre a destinação do lixo nuclear da Usina de Angra 3 e das próximas que serão construídas no Brasil.

O Comitê de Desenvolvimento do Programa Nuclear Brasileiro se reuniu hoje (18) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e deverá apresentar uma proposta conclusiva em 60 dias. Nesse período, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, vai estabelecer um calendário de reuniões para que a proposta seja concluída. A assessoria de imprensa da Presidência não se manifestou oficialmente, mas auxiliares do Palácio do Planalto confirmaram a informação.

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, pediu mais detalhes técnicos sobre a proposta de destinação dos rejeitos, apresentada pelo presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, que garante a segurança do lixo nuclear por mais de 500 anos. O ministro chegou a dizer que só autorizaria a retomada da construção de Angra 3 se o governo encontrasse uma solução definitiva para o lixo nuclear.

A Eletronuclear garantiu que as exigências estabelecidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a concessão da Licença de Instalação da Usina de Angra 3 serão cumpridas dentro do prazo previsto.

O programa estratégico do governo para a área de geração de energia prevê ainda a continuidade do processo de enriquecimento de urânio no país e a construção de submarinos nucleares, que poderão ser utilizados para a proteção das reservas de petróleo na camada pré-sal.

A reunião contou com a presença dos ministros Miguel Jorge (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Nelson Jobim (Defesa), Dilma Roussef (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda), Carlos Minc (Meio Ambiente), Edison Lobão (Minas e Enegia), Sérgio Rezende (Ciência e Tecnologia), Reinold Stephanes (Agricultura), Jorge Felix (Gabinete de Segurança Institucional), Mangabeira Unger (Políticas a Longo Prazo), além de Samuel Pinheiro, secretário executivo do Ministério das Relações Exteriores.

Também participou da reunião, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim.

Por: Agencia Brasil