19/08/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Lançado portal do Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos

Brasília - A Agência Nacional de Águas (ANA) e o Fundo Setorial de Recursos Hídricos (CT-Hidro), do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), lançaram neste mês, o portal do Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos (SNIRH).

De acordo com o especialista em recursos hídricos da agência, Maurício Cézar Cordeiro, o SNIRH é um instrumento de gestão de recursos hídricos, previsto na Lei das Águas 9.433/97, que tem o objetivo de coletar, tratar, armazenar e recuperar informações sobre a água, além de reunir, dar consistência e divulgar dados e informações quantitativas e qualitativas dos recursos hídricos brasileiros.

“Esse sistema garante à sociedade o acesso rápido e preciso às informações atualizadas sobre recursos hídricos. É importante para o país porque diversos setores da economia que são considerados setores usuários de recursos hídricos como navegação, irrigação, pesca, abastecimento humano vão ter acesso à informações quantitativas e qualitativas dos recursos hídricos do país”, afirmou.

Segundo o especialista, as informações que compõem o sistema, e que já estão disponíveis na página da ANA na internet, são oriundas de uma rede de monitoramento hidrológico que a agência mantém com recursos repassados pelo Ministério do Meio Ambiente. “Essa rede é composta por, aproximadamente, 1,5 mil estações de monitoramento hidrológico localizadas em diversos tipos de rios, sejam eles rios com maior vazão ou rios menores, mas de grande importância para alguma comunidade local.”

Segundo Cordeiro, o conteúdo do portal é diversificado. “Temos informações técnicas como setores usuários, pesquisadores, acesso à informações do nível dos rios, quantidade de chuva em uma região em tempo real e tem também informação para um público não especializado. Temos muitas coisas a avançar no portal, à medida que novas funcionalidades e informações forem sendo desenvolvidas iremos colocar à disposição do público”.

O especialista afirmou ainda que o portal pode ser acessado pela página da ANA, na seção de Conservação da Água e Solo.

Por: Agencia Brasil