19/07/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Estudantes promovem ato pela democratização da comunicação

Manifestação, que será realizada dia 23 de julho, no Rio de Janeiro, faz parte da programação do Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação (Enecom). Também no Rio, Central de Rádios Comunitárias envia carta a parlamentares pedindo socorro contra repressão.

RIO DE JANEIRO - Estudantes de comunicação do Brasil promoverão um ato pela democratização da comunicação, dia 23 de julho, no Rio de Janeiro, a partir das 16h30min, com concentração na Praça XV. Para quem vem de Niterói, a concentração será no Campus do Gragoatá, às 15 horas. A atividade faz parte da programação do Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação (Enecom) e pretende dialogar com a população sobre a fusão da Brasil Telecom com a Oi Telemar. Todas as entidades comprometidas com a luta pela democratização da comunicação estão convidadas a participar.

O ato está sendo convocado pelas seguintes entidades: Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação (ENECOS), Centros e Diretórios Acadêmicos de Comunicação da UFF, PUC-RJ, UERJ, UFRJ, Diretório Acadêmico de Estudos de Mídia - UFF e Comissão Organizadora do ENECOM Rio 2008.

Rádios comunitárias

A Central de Desenvolvimento de Rádios Comunitárias do Grande Rio encaminhou ofícios a todos os deputados federais e senadores solicitando que intercedam junto ao ministro das Comunicações, Hélio Costa, “em função da absoluta falta de sensibilidade no que tange à radiodifusão comunitária”. A correspondência afirma:

“Estamos pedindo socorro aos nossos parlamentares, nossas rádios estão sendo fechadas de maneira covarde e arbitrária, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e a Polícia Federal têm interpelado os radialistas de maneira absolutamente irregular, contrariando o capítulo 5° da Constituição brasileira que nos garante a livre expressão”.

A central de rádios comunitárias também encaminhou correspondência ao ministro Hélio Costa, solicitando informações sobre o procedimento para a instalação, operação e legalização das mesmas.

Por: Carta Maior