28/06/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Sistema que reúne Sesc, Sesi e Senai será avaliado na Alerj

Nesta segunda-feira (30/06), às 9h30, a Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro reunirá as federações da indústria, do comércio, da agricultura e de transportes em um debate no Plenário Barbosa Lima Sobrinho sobre o trabalho desenvolvido no estado pelo chamado Sistema "S" (Sesi, Senai, Sesc, Senac, Senar, Sest, Senat, dentre outros). De acordo com o presidente da Alerj, deputado Jorge Picciani (PMDB), a reunião foi motivada pela proposta do ministro da Educação, Fernando Haddad, de alteração da forma de repasse e administração de recursos das entidades do Sistema "S" e pelas reclamações recebidas pela Comissão de Trabalho da Alerj a respeito da baixa oferta de cursos gratuitos. “Nosso objetivo é conhecer as ações bem-sucedidas em relação à promoção do desenvolvimento socioconômico e cultural e cobrar que elas cheguem ao maior número possível de pessoas. A perspectiva de recebermos nos próximos três anos R$ 94,8 bilhões em investimentos públicos e privados faz com que tenhamos que planejar o crescimento para que este resulte, de fato, num círculo virtuoso”, afirma Picciani.

Segundo o presidente da Comissão de Trabalho da Alerj, deputado Paulo Ramos (PDT), foram recebidas denúncias de que o Sistema estaria terceirizando cursos de qualificação, o que encarece o serviço prestado aos trabalhadores. “Nesta reunião, vamos buscar saber quanto é arrecadado e que cursos são oferecidos”, adianta o parlamentar. No encontro, os presidentes da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz, da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, da Fetranspor, Lélis Marcos Teixeira, e da Faerj, Rodolfo Tavares, apresentarão os resultados das iniciativas desenvolvidas pelo Sesc e Senac, Senai e Sesi, Sest e Senat e pelo Senar, respectivamente, e o papel destas instituições na formação da mão-de-obra no estado. “Esta é uma discussão sobre educação profissionalizante, assunto que passa sim pela indústria, comércio, agricultura e transportes. Os investimentos que estão sendo anunciados no estado demandam especialização, que é oferecida com qualidade pelo sistema. Daí a importância de acompanharmos os resultados e as metas destas instituições para permitir que o que está dando certo continue e se amplie”, explica Picciani.

No final de abril, o Ministério da Educação e Cultura (MEC), sob a justificativa de expandir a rede de entidades privadas de formação profissional e de obrigá-la a ampliar a oferta de cursos técnicos gratuitos de nível médio, sugeriu a criação de um fundo para administrar e repassar os recursos para o Sistema "S", o Funtep (Fundo Nacional de Formação Técnica e Profissional). A reação do empresariado em relação à iniciativa mobilizou a Assembléia Legislativa do Rio que, por meio do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado Jornalista Roberto Marinho, resolveu encampar a questão e mostrar os impactos que esta proposta trará para o crescimento econômico do estado. “Conhecendo estas entidades e o serviço que elas prestam é possível cobrar seu aperfeiçoamento, corrigir possíveis falhas e frear iniciativas como a do MEC. O objetivo do ato é justamente este: partir da prestação de contas do trabalho desenvolvido pelo Sistema ‘S’ para mobilizar a classe política e a população a respeito de seu papel estratégico para o País”, ressalta Picciani.

PROGRAMAÇÃO DO ATO EM DEFESA DO SISTEMA "S"

Mesa de Abertura:

Presidente da Alerj, Jorge Picciani

Presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz

Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira

Presidente da Fetranspor, Lélis Marcos Teixeira

Presidente da Faerj, Rodolfo Tavares

9h30 - O Sistema "S" no estado do Rio: aperfeiçoar sim, inviabilizar, não

Presidente da Alerj, deputado Jorge Picciani

10h - A defesa do Sistema Fecomércio-RJ é a defesa do futuro do Estado do Rio

Presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz

Diretor Regional do Senac Rio, Carlos Miguel Aranguren

Diretor Regional do Sesc Rio, Bruno Villas Boas

10h20 - Educação e Desenv

Por: Alerj