21/05/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Recuperação de dois mananciais na capital paulista receberá cerca de R$ 1 bilhão

Bruno Bocchini

Repórter da Agência Brasil

São Paulo - Os mananciais de Billings e Guarapiranga, na região sul da capital paulista, vão receber cerca de R$ 1 bilhão para a despoluição das águas. Os contratos dos repasses serão assinados hoje (20) por representantes dos governos federal e estadual, da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), e das prefeituras de São Paulo, de Guarulhos e de São Bernardo do Campo.

O complexo Billings e Guarapiranga é o segundo mais importante manancial de fornecimento de água para a região metropolitana de São Paulo e representa 21% do total de abastecimento. O manancial da Cantareira é o mais importante da metrópole, responsável por 48% do fornecimento de água. O restante é proveniente de mananciais do Alto Tietê.

“A disponibilidade hídrica na região metropolitana de São Paulo está realmente esgotada. A recuperação da qualidade dessa água é fundamental”, destacou a secretária de Saneamento e Energia do governo do estado, Dilma Penna, que concedeu ontem (19) entrevista sobre as obras.

O programa de recuperação dos mananciais Billings e Guarapiranga será coordenado pela secretaria, em parceria com a prefeitura de São Paulo, a Sabesp e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU). Os recursos virão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo estadual, da Sabesp e das prefeituras de São Paulo, de São Bernardo do Campo e de Guarulhos.

O cronograma do programa de recuperação dos mananciais prevê que, no período de 2008 a 2011, sejam realizadas obras de urbanização, habitação e saneamento nas favelas e assentamentos que ficam nas proximidades das represas.

De acordo com informações do governo do estado, serão urbanizados 45 núcleos habitacionais, onde vivem aproximadamente 45 mil famílias. As obras devem remanejar para conjuntos habitacionais mais de 5,2 mil famílias.

A prefeitura da cidade será a responsável pelas obras de urbanização e saneamento, em parceria com a Sabesp. As famílias removidas serão realocadas em moradias construídas pela CDHU. As áreas onde serão construídas as novas moradias, no entanto, ainda estão em processo de compra.

Do total de R$ 1,001 bilhão que serão investidos, R$ 250 milhões serão do PAC, para obras de urbanização e saneamento; R$ 180,2 milhões, do governo do estado, para construção de moradias; R$ 446,5 milhões, da prefeitura de São Paulo, para urbanização e construção de novas habitações; R$ 84,6 milhões, da Sabesp, para obras de saneamento; R$ 31,8 milhões, da prefeitura de São Bernardo, e R$ 7,8 milhões, da prefeitura de Guarulhos.

Por: Agencia Brasil