15/05/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Problemas ambientais urbanos devem ganhar mais espaço no ministério, diz WWF

Luana Lourenço

Repórter da Agência Brasil

Brasília - A experiência do novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, à frente da secretária estadual do Ambiente do Rio de Janeiro, “estado que tem problemas ambientais urbanos muito sérios” pode se refletir na definição das prioridades da nova gestão e incluir os desafios ambientais das grandes cidades na pauta central do ministério, na avaliação da secretária-geral do WWF Brasil, Denise Hamú.

Minc foi confirmado hoje (14) como novo ministro da pasta, depois do pedido de demissão de Marina Silva.

“O nome é muito bem recebido pelo WWF Brasil, Minc é uma pessoa respeitadíssima, tem lidado com essa agenda de questões urbanas e meio ambiente como poucos secretários [estaduais]. Ele pode dar um equilíbrio, trazer esse lado urbano mais para o centro da agenda, muito embora ele tenha desafios enormes como o desmatamento da Amazônia e as questões do agronegócio e do avanço da fronteira agrícola”, listou Hamú em entrevista à Agência Brasil.

Em relação ao trânsito do novo ministro com setores como o de produção de soja, Hamú acredita que Minc tem “boas credenciais” para dialogar e alcançar bons resultados.

“Sempre vai haver uma tensão natural de interesses, de modus operandi, mas acredito que ele já demonstrou ser um hábil negociador. E acho que é pré-requisito para qualquer pessoa que venha trabalhar na área ambiental uma disposição para o diálogo, com todos os setores da sociedade”, apontou.

Por: Agencia Brasil