06/05/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Greenpeace entrega a Garibaldi carta contra desmatamento

Acompanhados do senador José Nery ((PSOL-PA), representantes do Greenpeace Brasil se reuniram, na manhã desta terça-feira (6), com o presidente do Senado Garibaldi Alves, a quem entregaram uma Carta Aberta, com mais de 300 assinaturas, na qual expressam suas preocupações com o desmatamento no Brasil. Eles se dizem preocupados com os projetos de lei e medidas provisórias que ameaçam as florestas e a biodiversidade, assim como o modo de produção dos camponeses e das comunidades indígenas.

João Alfredo Mello, consultor do Greenpeace Brasil, e Luiz Gomes, representante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e da Via Campesina, relataram a Garibaldi suas inquietações em relação ao projeto do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), que, na avaliação dos ambientalistas, pretende reduzir a área de reserva legal florestal da Amazônia (PLS 110/05) e que, ao chegar à Câmara (PL 6.424/05), foi emendado com iniciativas capazes de anistiar desmatadores. Eles também se disseram preocupados com a MP 422/08, dizendo que ela propicia a legalização da grilagem na Amazônia.

- Dissemos ao senador Garibaldi que hoje há um sentimento nacional de defesa da floresta e que o Congresso está indo exatamente na contramão desse sentimento. O Brasil tem a maior floresta tropical do planeta, a maior biodiversidade do planeta e aqui tramitam projetos perigosamente contrários aos valores socioambientais. Ao chegar na Câmara, o projeto do senador Flexa Ribeiro virou o próprio estatuto do desmatamento - afirmou João Mello.

De acordo com o consultor do Greenpeace, o presidente do Senado prometeu encaminhar aos líderes partidários o documento a ele entregue. Essa Carta Aberta é dirigida ao presidente da República, aos presidentes do Senado e da Câmara, aos líderes partidários e a representantes de entidades da sociedade civil, movimentos sociais, pastorais e organizações não-governamentais preocupadas com as iniciativas legislativas que ameaçam as florestas.

Por: Agencia Senado - http://www.senado.gov.br/