29/03/2008 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Reciclar diminui conta de luz

O que vc acha de contribuir para combater o aquecimento global e ainda pagar menos pelo uso da energia elétrica? Isso é possível em Cuiabá, capital do Mato Grosso. Lá, a Cemat (Centrais Elétricas Matogrossenses) implantou, há dois anos, o Projeto Vale-Luz que consiste na troca de latas de alumínio e garrafas pet por bônus a serem descontados no pagamento da fatura de energia elétrica. O programa funciona em parceria com o Governo do Estado de Mato Grosso, com a empresa Aleris Latasa e com a rede de supermercados Modelo.

Por enquanto, o alcance do Projeto ainda é limitado porque os consumidores dispõem de um único ponto de troca: uma loja do supermercado Modelo localizada em Cuiabá.

Mas o interesse demonstrado pelos moradores da cidade incentivou a Cemat a ampliar o número de locais para entrega dos recicláveis.

Fernando Luna, ouvidor da empresa, informa que, ainda neste primeiro semestre, outras 13 lojas da rede de supermercados, espalhadas em três cidades, passarão a fazer a troca dos materiais por bônus.“A CEMAT tem como compromisso a preservação do meio ambiente e o projeto já demonstrou, até o momento, ser umincentivo à reciclagem”, afirma Luna. O representante da CEMAT aproveita também para esclarecer que a empresa não visa lucro econômico com o programa, mas sim o ganho ambiental e de qualidade de vida para todos os consumidores do estado. Para cada quilo de latinha entregue, o cliente recebe cerca de R$ 2,50 de desconto. Já no caso do pet, cada quilo rende R$ 0,12 a menos na conta.

Uma das principais preocupações da empresa é a poluição dos rios matogrossenses, entre eles, o Rio Cuiabá, constantemente agredido com o despejo de entulhos e lixo que deveriam ter outra destinação. A ampliação do Vale-Luz tem entre seus objetivos contribuir para melhorar as condições de outros rios do estado.

A CEMAT conta hoje com aproximadamente 1.600 funcionários e atende cerca de 495 mil consumidores (84% pertencentes à classe residencial), distribuídos em 111 municípios (dos 126 do Estado).

Bom exemplo

Iniciativas como essa poderiam ser adotadas por outras empresas que prestam serviços públicos em todo o país. Seria uma forma de aumentar a reciclagem no Brasil. O primeiro benefício da reciclagem é que ela reduz o volume de lixo de tratamento genérico, encaminhando parte dos materiais para serem reprocessados. Assim, há uma economia significativa de matéria-prima, água e energia, visto que para fabricar um produto com material reciclado usa-se muito menos recursos naturais do que ao produzi-lo a partir de matérias primas virgens.

No Brasil são geradas cerca de 125 mil toneladas de lixo todos os dias. Estima-se que 30% de todo esse resíduo seja composto por materiais recicláveis, como plástico, vidro, papel, latas entre outros, que podem ser reaproveitados na confecção de novos produtos. A coleta seletiva é a maneira de levar estes materiais novamente até a indústria, tirando da lata do lixo, todo o dinheiro gasto em sua captação na natureza e ciclo produtivo. Se durante um ano, um terço do material reciclável que é jogado fora no Brasil fosse encaminhado para reciclagem, seria feita uma economia de energia elétrica suficiente para abastecer as casas de São Paulo durante esse mesmo ano.

O benefício da reciclagem pode ser visto em um outro exemplo. Uma família pode deixar de lançar até 420 quilos de dióxido de carbono por ano simplesmente reciclando o lixo da sua casa. Essa quantidade de carbono é a mesma emitida por 300 carros 1.0 a gasolinapara um trajeto de 2,7 mil quilômetros, aproximadamente a distância entre Florianópolis e Salvador. Se um prédio de apartamentos ou condomínio em que vivam 10 famílias, com quatro pessoas cada uma, por exemplo, separar o material reciclável causaria uma redução da emissão de 4.200 quilos de CO2 por ano.

Portanto, o exemplo da Cemat é uma boa sugestão a ser encaminhada às empresas prestadoras de serviço.

Por: Cemat - Akatu