20/12/2007 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Adolescentes e jovens reclamam da corrupção, discriminação racial e insegurança

O UNICEF, a Fundação Itaú Social e o Instituto Ayrton Senna lançaram, no dia 28 de novembro, a pesquisa ‘Adolescentes e jovens do Brasil: participação social e política’. O objetivo do trabalho, realizado pelo Ibope Opinião, é o de contribuir com ações de promoção dos direitos dos jovens e estimular um processo participativo. Foram entrevistados 3.010 adolescentes moradores de capitais e do interior de todas as regiões brasileiras e 210 indígenas de 15 municípios.

Em geral, os entrevistados apresentam uma forte preocupação com questões coletivas, muito mais do que com problemas individuais, e estão abertos para colaborar. A intolerância com a corrupção, a consciência sobre a discriminação racial e a angústia gerada pela falta de segurança no País destacam-se no estudo. Entre os indígenas entrevistados, evidencia-se uma visão mais positiva em relação ao povo brasileiro, aos seus professores e a sua comunidade. A questão ambiental está no centro de suas preocupações. É esse o grupo que mais se sente discriminado e que enfrenta as maiores dificuldades na obtenção de um trabalho formal.

Mais do que gerar dados estatísticos, o trabalho inicia um processo de consulta a ser continuado por iniciativas de organizações governamentais e não-governamentais. Os dados apresentados podem trazer subsídios para práticas participativas e políticas de saúde, educação, profissionalização, justiça, cultura e esporte, capazes de proporcionar uma vivência plena da adolescência e juventude no País, com envolvimento das famílias, dos próprios adolescentes e jovens e de suas comunidades. A pesquisa completa está disponível em www.unicef.org.br.

Por: Unicef