Marcel ProustNise da Silveira

Mestre de Vida: Oscar Wilde

Oscar Wilde Oscar Wilde 1854 - 1900

Oscar Wilde

Oscar Wilde foi um escritor irlandês sofisticado, inteligente e dândi (não aristocrata, mas combinando elegância e requinte no vestir e uma linguagem e conhecimentos refinados). Foi adepto do esteticismo (“a arte pela arte”).

Desde criança esteve rodeado por intelectuais. Criado no protestantismo, destacou-se nos estudos das obras clássicas e conhecimento dos idiomas.

Depois de escrever de diferentes formas ao longo da década de 1880, tornou-se um dos dramaturgos mais populares de Londres, em 1890. Oscar pode ser considerado um mestre de vida por suas virtudes de criatividade e intensidade. Foi convidado para ir aos EUA falar sobre seu Movimento Estético e a idéia de renovação moral pela busca do “belo” como caminho contra o que considerava maléfico à sociedade. Em 1891, lançou sua obra prima, “O Retrato de Dorian Gray”, retratando a decadência moral humana.

Hoje ele é lembrado por seus epigramas e peças, e as circunstâncias de sua prisão, que foi seguida por sua morte precoce.

Ensinamentos:

A ambição é o último refúgio de todo fracasso

Dando-nos as opiniões dos ignorantes, [o jornalismo] nos coloca em contato com a ignorância de toda a comunidade.

A consciência de amar e ser amado traz um conforto e riqueza à vida que nada mais consegue trazer.

A moral é apenas a atitude que tomamos para com aqueles de quem não gostamos.

A forma de governo mais adequada ao artista é a ausência de governo. Autoridade sobre ele e a sua arte é algo de ridículo.

As crianças são sempre o símbolo do eterno matrimônio entre o amor e o desejo.

Egoísmo não é viver à nossa maneira, mas desejar que os outros vivam como nós queremos.

Experiência é o nome que todo mundo dá aos próprios erros.

Os grandes acontecimentos do mundo têm lugar no cérebro

Só podemos dar uma opinião imparcial sobre as coisas que não nos interessam, sem dúvida por isso mesmo as opiniões imparciais carecem de valor.

Não há outro pecado além da estupidez.

Onde há sofrimento há terreno sagrado.

Verdade, em assuntos de religião, simplesmente é a opinião que sobreviveu.

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.

Acreditar é monótono, duvidar é apaixonante, manter-se alerta: eis a vida.

A arte é a forma mais intensa de individualismo que o mundo conhece.

Um homem que não pensa por si próprio, não pensa de modo algum.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL