SênecaSamuel Beckett

Mestre de Vida: Cícero

Cícero Cícero 106 a.C - 43 a.C

Cícero

Cícero nasceu em Arpino. Assim, não era um “Romano” no sentido tradicional. Todavia, foi uma das mentes mais versáteis da Roma antiga. Foi ele quem apresentou aos Romanos as escolas filosóficas gregas. Foi linguista, tradutor, filósofo, orador impressionante e um advogado de muito sucesso. Embora pensasse que sua carreira política seria a façanha de sua vida, hoje em dia, ele é mais apreciado por seu humanismo e escritos filosóficos e políticos. Cícero viveu num dos momentos mais tensos da história de Roma, exercendo os cargos de Questor, Consul e Senador, defendendo com dignidade e honra a República, naqueles momentos que iriam vitimar Júlio Cesar. Cícero tinha se posicionado contra Júlio Cesar por sua ambição e, depois, contra Marco Antônio. Por isto, foi perseguido e degolado, em 43 a.C, por soldados leais ao imperador, na época do segundo triunvirato.

Ensinamentos:

“Casa sem livros, corpo sem alma”

“Todos os homens podem cair no erro, mas só os idiotas perseveram nele.”

“A vida feliz consiste na tranqüilidade da mente.”

“A minha consciência tem mais peso pra mim do que a opinião do mundo inteiro.”

“No fundo de mim, estou eu. No fundo de mim, estou sem fundo!”

“Todo homem é atingido pelos próprios crimes.”

“Nenhum dever é mais importante do que a gratidão.”

“A história é testemunha do passado, luz da verdade, vida da memória, mestra da vida, anunciadora dos tempos antigos. “

“O estar satisfeito com os seus próprios bens constitui a maior e mais certa riqueza.”

“Para que possamos ser livres, somos escravos das leis.”

“Nem chega a ser útil saber o que acontecerá: é muito triste angustiar-se por aquilo que não se pode remediar.”

“A ignorância é a maior enfermidade do gênero humano.”

“O falso é tão vizinho do verdadeiro, que o sábio não deve aventurar-se num desfiladeiro tão perigoso.”

“As doenças do espírito são mais funestas e mais numerosas do que as do corpo.”

“A que homem livre governará se não pode governar suas próprias paixões?”

VOLTAR À PÁGINA INICIAL