Allan KardecAnatole France

Mestre de Vida: Rudolf Steiner

Rudolf Steiner Rudolf Steiner 1861 - 1925

Rudolf Steiner

Rudolf Steiner nasceu na Austria-Hungria e foi filósofo, educador, artista e esoterista. Foi fundador da Antroposofia, da Pedagogia Waldorf, da agricultura biodinâmica, da medicina antroposófica e da Euritimia.

Após um período de vivência na Alemanha, no qual sobreviveu como escritor , Steiner aderiu a trajetória de conferencista, desenvolvendo aAntroposofia.

Convencido de que a realidade é essencialmente espiritual, ele quis treinar as pessoas a superar o mundo material e aprender a compreender o espiritual.A sua influência mais duradoura e significativa foino campo da educação, com a criação da Pedagogia Waldorf,segundo a qual:“Toda educação é auto-educação e nós, como educadores, somos apenas o ambiente da criança educando-se a si própria.Devemos, por isto, criar um ambiente propício para que a criança eduque-se junto a nós, por meio de seu destino interior.”

Ensinamentos:

“Digo não a submeter-me ao medo, que me tira a alegria de minha liberdade”

“Não importa que eu tenha uma opinião diferente do outro, e sim que o outro venha a encontrar o certo a partir de si próprio, se eu contribuir umpouco para tal”.

“Nós desaprendemos a ver na simples Natureza o sumo bem pelo qual nosso espírito anseia”.

“Colocamos adiante o medo para não deixar passar o nosso futuro.”

“A natureza faz do homem um ser natural.A sociedade faz dele um ser social.Somente o homem é capaz de fazer de si um ser livre.”

“A nossa mais elevada tarefa deve ser a de formar seres humanos livres, que sejam capazes de, por si mesmos, encontrar propósito e direção para as suas vidas”

“A Antroposofia é um caminho de conhecimento que deseja levar o espiritual da entidade humana para o espiritual do Universo. Ela aparece no ser humano como uma necessidade do coração e do sentimento, e deve encontrar sua justificativa no fato de poder proporcionar a satisfação dessa necessidade. AAntroposofia só pode ser reconhecida por uma pessoa que nela encontra aquilo que, a partir de sua sensibilidade, deve buscar. Portanto, somente podem ser antropósofos pessoas que sentem como uma necessidade de vida certas perguntas sobre a essência do ser humano e do universo, assim como se sente fome e sede.”

“O raciocínio puramente intelectual e materialista se compraz em acreditar que não se pode penetrar no âmago das coisas senão por meio de conceitos abstratos; dificilmente admitirá que, para esse fim, as outras forças anímicas sejam pelo menos tão necessárias quanto o intelecto. Não se trata apenas de uma metáfora quando afirmamos ser possível compreender algo tanto com o sentimento e as emoções quanto com o intelecto.”

VOLTAR À PÁGINA INICIAL