Sri RamakrishnaAristóteles

Mestre de Vida: Gurdjieff

Gurdjieff Gurdjieff 1866-1949

Gurdjieff

De ascendência grega e armênia,nasceu em Alexandropol, na fronteira da Rússia com a Turquia. Desde o começo distinguiu-se dos outros meninos na escola por seu questionamento insaciável. Procurou orientação de pessoas mais velhas entre as inúmeras escolas da região. Leu vorazmente e, em tenra idade, deixou seu lar em busca de homens mais sábios ou irmandades que pudessem possuir chaves para o conhecimento que tinha se tornado uma necessidade para sua vida. Que tenha recebido instruções de mestres espirituais do Oriente não há dúvida.

Durante vinte anos, até 1909, Gurdjieff esteve buscando e viajando, preparando-se adequadamente, dirigido e influenciado pelo que ele chama o Círculo Interior da Humanidade, os portadores do conhecimento que buscava. Durante esse tempo tomou consciência da tarefa que foi chamado a assumir: chamar a humanidade para um conhecimento do significado da vida.

Ensinamentos:

“É muito importante encontrar nossa verdadeira vocaçãona vida. Somente assim se pode realizar o próprio destino”.

“Nossa idéia fundamental é a de que ohomem, tal qual o conhecemos, não é um ser acabado.’”

‘A evolução do homem significará o desenvolvimento de certas qualidades e características interiores que habitualmente permanecem embrionárias e que não podem se desenvolver por si mesmas.’

‘Devemos partir da idéia de que sem esforços a evolução é impossível e de que, sem ajuda, é igualmente impossível.’

Desde criança tenho a sensação de que algo falta em mim. Sentia que existe outra vida além da vida comum. Uma vida que me chama. Mas como me abrir a ela? Esta pergunta não me deixa em paz e assim tornei-me um cão faminto, perseguindo uma resposta.’

Para o homem a mais alta realização é ser capaz de fazer.

Lembre-se de que você veio aqui, porque compreendeu a necessidade de lutar contra si mesmo. Agradeça, portanto, a quem lhe proporcione a ocasião para isso.

Junte a compreensão do Oriente e o saber do Ocidente - e, em seguida, busque.

Só aquele que puder zelar pelo bem dos outros merecerá seu próprio bem.

Se quiser aprender a amar, comece pelos animais; eles são mais sensíveis.

Ensinando aos outros, você mesmo aprenderá.

Lembre-se de que aqui o trabalho não é um fim em si mesmo. É apenas um meio.

Só pode ser justo quem sabe se pôr no lugar dos outros.

Se você não for dotado de espírito crítico, sua presença aqui é inútil.

Um dos melhores meios de despertar o desejo de trabalhar sobre si mesmo é tomar consciência de que a gente pode morrer de uma hora para outra. E isso, é preciso aprender a não esquecê-lo.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL