Srila Bhaktivedanta PrabhupadaHenri Bergson

Mestre de Vida: Sri Ramakrishna

Sri Ramakrishna Sri Ramakrishna 1836-1886

Sri Ramakrishna

Sri Ramakrishna é considerado um grande santo da Índia moderna. Sua vida foitestemunho da verdade e universalidade dos princípios espirituais, a pureza e o amor. Nascido em Kamarpukur, uma aldeia próxima a Calcutá, desde criança demonstrou uma grande inclinação para a vida espiritual. Como um jovem sacerdote, Ramakrishna mergulhou em intensas práticas espirituais e profundas meditações pelo anseio da comunhão divina.

Via Deus em tudo e em todos. Seu amor pela humanidade não conhecia limites. Dizia, com freqüência, que os seres humanos eram as mais elevadas manifestações de Deus.A Ordem Ramakrishna, inspirada nesse sentimento, tem como um dos seus mais importantes ideais servir a Deus no homem.

Ensinamentos:

“É pela vontade de Deus que diferentes religiões e opiniões vieram à existência. Deus dá à diferentes pessoas o que elas podem digerir.”

Viva no mundo como a ave aquática; a água a molha mas ela a sacode. Viva no mundo como o bagre na lama; sua pele está sempre brilhante e lustrosa. Certamente o mundo é uma mistura de verdade e “faz de conta”. Rejeite o “faz de conta e agarre a verdade.

Quanto mais o homem pensar e meditar em Deus, tanto mais perderá o gosto pelos prazeres mundanos. Quanto maior for o amor e a devoção a Deus, tanto mais diminuiram os desejos mundanos e o cuidado do corpo.Então olhará para cada mulher como para uma mãe; para sua esposa como para uma companheira espiritual, desaparecerão todas as paixões animais, virão a divina espiritualidade e o desinteresse pelo mundo. O homem estará absolutamente emancipado, mesmo que esteja nesta vida.

A consciência divina não virá enquanto houver tres coisas no coração: vergonha, ódio e temor.

Nos Vedas se diz que, quando a mente alcança a evolução espiritual, a alma entra em Samadhi e, instantaneamente, desaparece a sensação do Eu.

Deus pode ser realizado somente por um coração puro. Ordinariamente a mente está manchada pelo mundano; pode ser comparada a uma agulha. Se a agulha estácoberta por uma espessa camada de lodo, não é atraida pelo imã, porém, se deixa o lodo, é logo atraida pelo imã.

A luxúria e o ouro são irreais. Deus é a única realidade. Que utilidade tem o dinheiro? Pode dar ao homem alimentos, vestido, casa, luxo e as comodidades da Vida, porém não lhe pode dar a perfeição espiritual nem a visão de Deus. A aquisição de riquezas não deve ser o fim mais elevado e a aspiração da Vida.

Não se deve apenas ser gentil com os seres vivos, mas servir os seres vivos com se fossem o proprio Deus.

“O número de opiniões, equilave ao número de caminhos”

VOLTAR À PÁGINA INICIAL