Miguel de UnamunoNise da Silveira

Mestre de Vida: Federico Fellini

Federico Fellini Federico Fellini 1920- 1993

Federico Fellini

Federico Fellini foi um dos mais importantes cineastas italianos e mundiais. Ficou eternizado pela poesia de seus filmes que, mesmo quando faziam sérias críticas à sociedade, não deixavam a magia do cinema. Trabalhou suas trilhas sonoras com o grande compositor Nino Rota.

Casou-se com Giulietta Masina, atriz com quem trabalhou no começo de carreira e com quem ficou a vida inteira até sua morte.

Foi um cartunista brilhante quando jovem. Aos 7 anos de idade fugiu da escola com um circo.

Felinni tem quatro obras na lista dos cem melhores filmes estrangeiros da BBC Culture. Conquistou quatro Oscars de melhor filme estrangeiro, o que fez dele um diretor recordista de estatuetas na categoria, junto de seu conterrâneo Vittorio De Sica, atrás apenas de Ingmar Bergman e Luis Buñuel.

A visão deste mestre do cinema era tão singular e hipnótica que rendeu o termo “felliniano”e também mostrou a gerações de cineastas um caminho a seguir, como experimentar e se arriscar fundindo narrativas confessionais com voos da imaginação.

Martin Scorsese, por exemplo, admitiu que revê “Oito e meio” (1963), obra-prima de Fellini, todo ano.

Ensinamentos:

Você existe apenas naquilo que faz

Aceita-me tal como eu sou. Só então poderemos descobrir-nos um ao outro.

O artista, como qualquer homem, precisa enfrentar com decisão as dúvidas, aceitar sua guerra. Não pode achar que tudo já está concordado. É isso que dá dignidade à missão do artista e do homem.

Não acredito em total liberdade para o artista. Deixado consigo mesmo, livre para fazer qualquer coisa que ele gosta, o artista acaba não fazendo nada. Se há uma coisa que é perigosa para um artista, é precisamente esta questão de total liberdade, à espera de inspiração e do resto.

Toda a arte é autobiográfica, a pérola é a autobiografia da ostra.

O artista é sempre um provinciano. Ele vive entre um mundo tangível e um intangível - essas são as fronteiras da sua província.

Essa história de confusão mental é típica dos reacionários, que acham necessário ter idéias claras sobre tudo, interpretar tudo de modo racional, sem precisar duvidar de nada.

O visionário é o único e verdadeiro realista.

Sem problemas, que prazer haveria em trabalhar? Cada fase da feitura de um filme apresenta dificuldades, imprevistos; faz parte do nosso trabalho superá-los ou procurar conviver com eles.

O Neo-Realismo é para mim uma forma de olhar a realidade sem qualquer preconceito, sem que intervenham convencionalismos – colocando-me diante dela sem idéias preconcebidas, olhando-a com honestidade –, seja qual for à realidade, não só a social, mas também a espiritual, a metafísica, tudo o que existe no interior do homem.

Dinheiro está em toda parte, mas é tão poético. O que falta são os poetas.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL