JesusGeorge Bernard Shaw

Mestre de Vida: Buda

Buda Buda 566 - 490 ac

Buda

O verdadeiro nome de Buda (desperto, iluminado) foi Siddharta Gotama. Nasceu no Nepal, nordeste da Índia numa família real do clã Xáquia. Aos 29 anos, Gotama viu o sofrimento humano, pela primeira vez, sob a forma de um velho, um doente e um morto. Ao deparar com um asceta (monge), resolveu seguir essa antiga via de sabedoria e fugir de casa, de noite, deixando a mulher e a família. Após seis anos de severa austeridade, atingiu o seu objetivo. Sentado debaixo de uma árvore Bodhi, passou por todas as fases de meditação e atingiu a iluminação, compreendendo a verdadeira natureza do sofrimento e da Vida. A partir daí foi conhecido por Buda, literalmente “o acordado”, e, durante cerca de 40 anos, até morrer, dedicou-se a ensinar a outros o caminho para chegar à iluminação.

Um dos princípios fundamentais do budismo é o desenvolvimento de uma atitude de compaixão ou benevolência, de amor, e de comunidade com todos os seres vivos, sem ferir, ofender ou depreciar nenhum deles.

Ensinamentos:

“Feliz aquele que vence o egoísmo, alcança a paze encontra a Verdade.A Verdade liberta-o do mal,não há no mundo libertador igual”

“Bem farias em te examinares e refletires sobreti mesmo.”

“Não viva no passado, não sonhe com o futuro,concentre a mente

no momento presente.”

“Consumido pelo desejo ardente, enraivecido pelo ódio, cego pela ilusão, esmagado e desesperado, o homem contempla a sua própria queda, a dos outros e ambos em conjunto”

O segredo da saúde da mente e do corpo está em não lamentar o passado, não se afligir com o futuro e não antecipar preocupações, mas está no viver sabiamente e seriamente o presente momento.

Um bom amigo, que nos aponta os erros, as imperfeições e reprova o mal, deve ser respeitado como se nos tivesse revelado o segredo de um tesouro oculto.

Numa viagem, um homem deve andar com um companheiro que tenha a mente igual ou superior a sua; é melhor viajar sozinho do que em companhia de um tolo.

Um homem será tolo se alimentar desejos pelos privilégios, promoção, lucros ou pela honra, pois tais desejos nunca trazem felicidade, pelo contrário, apenas trazem sofrimentos.

Vale a pena cumprir bem e sem erros o dever diário; não procure evitá-lo ou adiá-lo para amanhã. Fazendo logo o que hoje deve ser feito, poder viver um bom dia.

Eu sou o resultado de meus próprios atos, herdeiros de atos; atos são a matriz que me trouxe, os atos são o meu parentesco; os atos recaem sobre mim; qualquer ato que eu realize, bom ou mal, eu dele herdarei. Eis em que deve sempre refletir todo o homem e toda mulher.

O valor de uma religião depende de sua capacidade de conter a ambição, o ódio e a insensatez. Não se deve confiar na mente que está cheia de cobiça, ira e estultícia. Não se deve deixar a mente desenfreada, deve-se mantê-la sob rígido controle. É muito difícil ter o perfeito controle mental. Aqueles que buscam a Iluminação devem livrar-se primeiro do fogo de todos os desejos. O desejo é como fogo devastador, e aquele que está trilhando o caminho da Iluminação deve evitar o fogo do desejo, assim como o homem que carrega um fardo de feno evita as chamas. É loucura um homem arrancar seus olhos, pelo temor de ser tentado pelas formas bonitas. A mente é o senhor e se ela estiver sob controle, os menores desejos desaparecerão.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL